Dino diz ter encontrado 50 senadores e que nem bolsonaristas falaram 'não'

Indicado ao STF, Flávio Dino (PSB) afirmou que já conversou com cerca de 50 senadores, entre eles alguns de oposição, e que, até o momento, não recebeu nenhum "não" ao seu nome.

O que aconteceu

Dino tem peregrinado pelos corredores do Senado em busca de apoio para a sabatina, marcada para o dia 13. Em uma semana esvaziada devido à realização da COP 28, em Dubai, o ministro da Justiça tem procurado senadores também por telefone. Ele foi indicado ao Supremo pelo presidente Lula no último dia 27.

Apesar das críticas de bolsonaristas, Dino afirmou que tem sido bem recebido pelos senadores do grupo. Hoje, ele se encontrou com o senador Hamilton Mourão (Republicanos-RS), por exemplo.

"Tenho procurado indistintamente todos os senadores e tenho sido muito bem tratado", declarou Dino. "Tudo ocorre de acordo com a normalidade. Muitos votos garantidos, outros dizem que vão pensar, e ninguém até agora disse que 'não'."

Dino disse que tem conversado sobre o seu compromisso com a pacificação nacional, o cumprimento de leis e a boa relação entre os Poderes. Os mesmos temas devem surgir na sabatina, informou o aliado de Lula, que se prepara para responder às perguntas.

O indicado ao Supremo classificou a abordagem como uma "mini sabatina". Ele explicou que os senadores já adiantam alguns questionamentos também sobre a politização da Justiça e a judicialização da política.

Os votos que Dino precisa para ser aprovado pelo Senado: a indicação tem que ser aprovada pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado por ao menos 14 votos, entre os 27 integrantes. Depois, tem que ser analisada pelos 81 senadores. No plenário, são necessários 41 votos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes