PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: Últimas notícias e o que sabemos até esta quinta-feira (30)

Primeira-dama Michelle Bolsonaro discursa no lançamento da campanha campanha "Mulheres Rurais, mulheres com direitos", ontem, em Brasília; hoje ela confirmou que testou positivo para a covid-19 - Reprodução/TV Brasil
Primeira-dama Michelle Bolsonaro discursa no lançamento da campanha campanha 'Mulheres Rurais, mulheres com direitos', ontem, em Brasília; hoje ela confirmou que testou positivo para a covid-19 Imagem: Reprodução/TV Brasil

Do UOL, em São Paulo

30/07/2020 12h35Atualizada em 30/07/2020 20h02

O Brasil registrou 1.129 novas mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com o balanço oficial do Ministério da Saúde. Ao todo, foram contabilizados 91.263 óbitos.

O país chegou à marca de 2.610.102 diagnósticos confirmados da covid-19, com 57.837 casos novos da doença identificados no último boletim.

O total de recuperados chegou a 1.824.095. Os casos em acompanhamento são 694.744.

Michelle Bolsonaro e Marcos Pontes testam positivo para a covid-19

A primeira-dama Michelle Bolsonaro e o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, testaram positivo para a covid-19. Segundo nota da secretaria especial de Comunicação Social da presidência, "ela apresenta bom estado de saúde e seguirá todos os protocolos estabelecidos". Além do marido Jair Bolsonaro (sem partido), Michelle teve outra pessoa da família atingida pelo coronavírus: a avó Maria Aparecida Firmo Ferreira, que está internada desde 1º de julho com covid-19.

Pontes é o quinto ministro do governo Bolsonaro a contrair o vírus. Ele contou que apresentou sintomas de gripe e que já iniciou o período de isolamento para se recuperar da doença.

Um dia depois de atingir a marca de 90 mil mortos em decorrência do coronavírus, o governo federal anunciou hoje a reabertura de fronteiras para estrangeiros. Foi autorizada a entrada de estrangeiros em todos os aeroportos do país, com exceção dos situados em cinco estados: Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rondônia, Rio Grande do Sul e Tocantins. Nestes locais, os voos internacionais continuam proibidos até o final de agosto. Os motivos para a restrição não foram informados.

Enquanto isso, o Brasil segue fora da lista de países cujos cidadãos podem entrar nos países da União Europeia. Em lista atualizada hoje, o bloco reduziu para 12 os países sem restrições de viagens. Os Estados Unidos também continuam vetados.

Profissionais de saúde: salário atrasado e pouco teste

Profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia estão enfrentando atraso no pagamento de salários. Há relatos de falta de pagamento a profissionais de saúde em São Luís (MA) e no Rio de Janeiro em três hospitais, no Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e em três UPAs. No estado, o sindicato dos médicos estima que cerca de 1,8 mil profissionais tenham sido afetados. No Pará, são cinco hospitais onde há atrasos nos salários.

Dyego Waldek, 31 anos, trabalhou no Samu carioca em abril, maio e junho, mas ainda não recebeu o salário pelos dois últimos meses. "Tenho inúmeros colegas sem receber no Samu. Nós éramos os heróis, agora somos os vilões, brigando pelo nosso salário", diz ele.

Teste de covid - Bruno Kelly/Reuters - Bruno Kelly/Reuters
Imagem: Bruno Kelly/Reuters

Correndo risco de contaminação devido ao trabalho, esses profissionais enfrentam ainda outro problema: a falta de testagem. Dois a cada três profissionais de saúde pública no Brasil disseram que não foram testados no Brasil, de acordo com um estudo realizado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). A resposta negativa foi dada por 64,8% das 2.138 pessoas ouvidas pela pesquisa, que consultou profissionais da rede pública em todos os estados, entre 15 de junho e 1º de julho. Somente 35,2% disseram ter sido testados.

"Isso significa que dois a cada três profissionais que estão na linha de frente da pandemia não sabem se já pegaram o vírus ou não. Logo, não há controle para saber se em algum momento estes trabalhadores não só foram expostos como serviram de vetores para colegas e pacientes", afirma Gabriela Lota, coordenadora do NEB (Núcleo de Estudos da Burocracia), da FGV, responsável pelo estudo.

RJ tem impasse sobre volta às aulas

Um impasse marca a discussão sobre a reabertura das escolas no estado do Rio de Janeiro. Ante a insegurança de pais de alunos quanto ao risco de contaminação pelo novo coronavírus e a falta de consenso entre prefeitura e governo do Rio sobre reabertura, escolas particulares consultadas pelo UOL dizem que não devem retomar suas atividades na capital fluminense na próxima segunda-feira (30), data em que a prefeitura anunciou reabertura facultativa.

Além dos riscos relativos à covid-19, escolas citaram decreto do governo Wilson Witzel (PSC), que proíbe aulas presenciais até 5 de agosto. Apesar de a gestão Marcelo Crivella (Republicanos) ter dado aval, a Secretaria Estadual de Educação informou que pode multar os estabelecimentos que abrirem as portas. O Ministério Público e a Defensoria Pública do Rio recomendaram que a prefeitura não promova a reabertura agora.

Ainda na capital, a comunidade Santa Marta, em Botafogo, será palco de uma pesquisa para avaliar os riscos de contaminação do novo coronavírus por ar e esgoto. Durante os dois últimos dias, as equipes da instituição colheram amostras de aerossóis da saída de valas de esgotos que correm a céu aberto e de monitoramento do ar nas localidades do Cantão e do Pé da Escada, que são áreas de grande movimentação de moradores da favela.

Astra vacina quase 10 mil no Reino Unido e avança no Brasil

Quase 10 mil pessoas no Reino Unido receberam a vacina experimental contra a covid-19 da AstraZenecaReguladores britânicos também aprovaram a realização de um ensaio clínico e da Universidade de Oxford, informou hoje o laboratório, segundo o qual, os testes estão indo bem. Reguladores britânicos também aprovaram a realização de um ensaio clínico de fase 1 de um remédio de anticorpos para a covid-19, desenvolvido pela sul-coreana Celltrion.

Também na corrida por uma vacina, a Johnson & Johnson anunciou hoje que começou os testes de segurança de sua vacina contra covid-19 em humanos, depois de divulgar detalhes de um estudo com macacos que mostrou que a vacina ofereceu uma proteção forte com uma única dose.

Trump quer adiar eleição

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, propôs hoje o adiamento das eleições presidenciais marcadas para novembro. Trump sugeriu o adiamento para que as pessoas possam votar de forma "apropriada e segura". Segundo ele, o número de votos pelo correio deve aumentar neste ano devido à pandemia e isso facilitaria fraudes na votação. Nem a epidemia de gripe espanhola de 1918, nem a guerra civil, nos anos 1860, levaram a uma mudança na data.

Hoje foi confirmada a morte de Herman Cain, empresário e ativista do movimento conservador Tea Party de 74 anos, devido ao novo coronavírus. Ele foi candidato à presidência dos EUA em 2012, mas não passou das prévias.

Economia: crise impacta EUA, Alemanha e empresas

Hoje, os Estados Unidos anunciaram uma retração de quase 10% do crescimento econômico no segundo trimestre, um efeito da crise provocada pela pandemia. E ele não é o único. Na Alemanha, o PIB registrou uma queda histórica de 10,1% no 2º trimestre, anunciou hoje o Destatis (Escritório Federal de Estatísticas).

No Brasil, 6 em cada 10 empresas afirmaram ter sofrido algum tipo de perda com pandemia. Das 2,8 milhões de empresas em funcionamento no país na segunda quinzena de junho, 62,4% (seis em cada dez) disseram ter sido afetadas negativamente pela crise, segundo levantamento do IBGE. O impacto é maior entre empresas de pequeno porte (com até 49 funcionários), o maior contingente da amostra.

Entre os efeitos negativos da pandemia, metade das empresas em atividade (50,7%) relatou queda nas vendas ou redução nos serviços prestados na segunda quinzena de junho. Para 27,6% das empresas o efeito foi pequeno ou inexistente e 21,4% afirmaram que tiveram aumento nas vendas.

Itália prorroga estado de emergência até 15 de outubro

Um dos países mais afetados no início da pandemia, a Itália decidiu estender o período de emergência até 15 de outubro. Após o aval do Parlamento, o governo ontem a prorrogação. A medida está em vigor desde 31 de janeiro e valia até 31 de julho, servindo para agilizar a liberação de recursos para combater a crise sanitária.

Na América Latina, o Peru assiste ao aumento no número de casos e mortes por covid-19. Ontem o país superou 400.000 casos confirmados e o segundo maior número diário de mortes: 204, segundo o Ministério da Saúde.

Coronavírus