PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Pandemia sem controle faz Brasil bater recorde de mortes e esgotar leitos

20/05/2020 - Ala de UTI para pacientes internados com coronavírus no hospital Gilberto Novaes, em Manaus (AM) - Michael Dantas/AFP
20/05/2020 - Ala de UTI para pacientes internados com coronavírus no hospital Gilberto Novaes, em Manaus (AM) Imagem: Michael Dantas/AFP

Marcelo Oliveira

Do UOL, em São Paulo

02/03/2021 23h27

Hoje, o Imperial College de Londres divulgou um estudo mostrando que a pandemia de covid-19 está sem controle no Brasil. Os números da doença vêm numa escalada incontestável: 1.726 mortes foram registradas no país em 24 horas, recorde histórico neste primeiro ano de pandemia. O recorde anterior, em 25 de fevereiro, era de 1.582 óbitos.

O descontrole é sentido também na espera por vaga de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Pelo menos 20 pessoas morreram em Santa Catarina aguardando leitos.

Além disso, nove estados têm 90% dos leitos de UTI para covid ocupados. Entre as capitais, esse número vai a dez. No início de fevereiro, eram oito capitais nessa condição.

Hospitais privados sem vaga em SP

Os hospitais particulares da cidade de São Paulo já registram 100% de ocupação nesse tipo de leito: Einstein, Oswaldo Cruz, Beneficência Portuguesa e São Camilo anunciaram nos últimos dias que não têm vagas.

São Paulo também registrou número altíssimo de mortes. Mas o secretário de Saúde se manteve contra o lockdown enquanto não houver a aprovação de um novo auxílio emergencial.

Sou contra lockdown como é feito em outros países, enquanto nós não tivermos esse auxílio. As pessoas vão morrer de fome.
Jean Gorinchteyn, secretário estadual de Saúde de São Paulo

Aulas sim ou não

Na mesma entrevista, o secretário defendeu a suspensão das aulas presenciais, embora a reabertura das escolas tenha sido muito defendida por João Doria.

Escolhendo as palavras, ele afirmou que as aulas devem ser suspensas não por haver mais risco de contágio na escola, mas porque com as escolas abertas mais gente circula pelas cidades: professores, funcionários, pais e alunos.

Os secretários de Educação prometem resistir à ideia de seus colegas da Saúde. O Consed (Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Educação) divulgou nota em que diz ver com preocupação pedidos para suspensão das aulas presenciais.

O debate sobre o vaivém das medidas de restrição ganhou a adesão de Dimas Covas. O diretor do Instituto Butantan em entrevista à Band defendeu que todo o estado de São Paulo deveria entrar na fase vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo.

Variante pouco estudada e guerra da vacina

Enquanto ainda não se sabe se a variante brasileira do vírus teria o poder de diminuir a eficácia das vacinas, políticos buscam amenizar a lentidão da imunização do país, que chegou a 3,36% da população, ou 7,1 milhões de pessoas.

A Câmara dos Deputados e o Senado aprovaram, respectivamente, medidas que autorizam a iniciativa privada a comprar vacinas (desde que as doem ao Plano Nacional de Imunização) e o projeto que estabelece prazo de sete dias para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) dar autorização emergencial para vacinas.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), ingressou com ação no STF (Supremo Tribunal Federal) para que o estado possa importar e distribuir vacinas. No Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) atacou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e disse que ele está "desprezando sua gente" e "está matando".

Do lado do governo federal, Bolsonaro mandará comitiva de dez pessoas a Israel, liderada pelo ministro Ernesto Araújo, para avaliar o uso experimental de um spray nasal sem comprovação científica.

Coronavírus