PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Anvisa espera aval de especialistas para decidir sobre CoronaVac a crianças

A Anvisa recebeu hoje dados de estudos feitos no Chile, onde a CoronaVac já é usada em crianças - Getty Images
A Anvisa recebeu hoje dados de estudos feitos no Chile, onde a CoronaVac já é usada em crianças Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

13/01/2022 15h14Atualizada em 13/01/2022 17h15

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) se reuniu hoje com representantes do Instituto Butantan, pesquisadores do Chile e infectologistas para colher mais dados sobre a aplicação da CoronaVac em crianças e adolescentes de 3 a 17 anos. As informações serão avaliadas por especialistas e, depois, consideradas pela agência no processo de análise do uso emergencial do imunizante contra a covid-19.

Na reunião, segundo a Anvisa, foram apresentados estudos feitos pelo governo chileno durante a aplicação da CoronaVac em crianças e adolescentes no país. Agora, especialistas convidados analisarão esses dados e produzirão relatórios, que posteriormente serão enviados à agência reguladora. A agência tem 14 dias dos 30 do prazo de análise para definir se autoriza ou não o uso do imunizante para a faixa etária.

"Os especialistas da Gerência Geral de Medicamentos da Agência seguem a análise do pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac para crianças. A avaliação está entrando na fase etapa final e próxima da decisão final. O relatório da área técnica será votado em reunião extraordinária da diretoria colegiada da Anvisa", informou a Anvisa, em comunicado.

A reunião para a apresentação do relatório final e a votação, porém, ainda não foi agendada.

Leia, na íntegra, a nota divulgada hoje pela Anvisa:

A Anvisa realizou, nesta quinta-feira (13), mais uma reunião sobre a vacina CoronaVac. A atividade faz parte do processo de avaliação do pedido de indicação da CoronaVac para crianças e adolescentes na faixa de 3 a 17 anos e foi dividida em três partes.

O encontro online e fechado reuniu especialistas da Anvisa, do Instituto Butantan, pesquisadores chilenos, técnicos do laboratório Sinovac China e representantes da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), da Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI) e da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

Foram apresentados e analisados dados de pesquisas e estudos feitos pelo governo chileno durante a aplicação da vacina CoronaVac em crianças e adolescentes no Chile.

Os especialistas convidados irão emitir pareceres que serão enviados para a Anvisa.

Após esta reunião, os especialistas da Gerência Geral de Medicamentos da Agência seguem a análise do pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac para crianças. A avaliação está entrando na fase etapa final e próxima da decisão final. O relatório da área técnica será votado em reunião extraordinária da diretoria colegiada da Anvisa.

A reunião para a apresentação do relatório final e a votação ainda não está agendada.

Coronavírus