PUBLICIDADE
Topo

Janaína Paschoal: instigar exposição das pessoas trará 'consequências trágicas'

Janaina Paschoal, deputada estadual do PSL em São Paulo - Mariana Pekin/UOL
Janaina Paschoal, deputada estadual do PSL em São Paulo Imagem: Mariana Pekin/UOL

Renato Vasconcelos

São Paulo

27/03/2020 15h51

A deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) voltou hoje a criticar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pela forma como ele vem conduzindo a crise do novo coronavírus. Utilizando as redes sociais, a parlamentar criticou a pressa em encerrar a quarentena e a necessidade de reorganizar a quarentena.

"Líderes italianos estão pedindo desculpas pelo erro cometido com as campanhas 'Itália não pode parar'; 'Milão não pode parar'. Os assessores do Presidente não têm capacidade para ler os jornais atuais de outros países?", escreveu Janaína.

Sobre a coordenação das medidas a serem adotadas, Janaína considerou que o próprio Planalto poderia ficar responsável. No entanto, afirmou que "instigar as pessoas a se expor vai trazer consequências trágicas".

"Sugiro que os assessores do Presidente se informem com os dados atuais e parem de usar vídeos desatualizados para confundir a população!", disse.

Aliada de Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018, Janaína rompeu com o presidente pouco depois do começo da epidemia no Brasil.

Janaína chegou a pedir a renúncia de Bolsonaro, após o presidente comparecer a uma manifestação no dia 15 de março, mesmo tendo mantido contato com o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, que testou positivo para o novo coronavírus.

A deputada encerrou sua sequência de mensagens pedindo que quem fosse capaz de manter o auto-isolamento, mantivesse. Veja abaixo a sequência de mensagens postadas no Twitter.

"Quem pode ficar em casa, trabalhando remotamente, fique! Estará se ajudando, ajudando os demais e, em especial, o sistema de saúde!", finalizou.

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Coronavírus