Topo

Autoridades confirmam vítimas de sete nacionalidades no Sri Lanka

Em Colombo

22/04/2019 10h37

Dinamarqueses, australianos, americanos, chineses, britânicos, turcos e indianos estão entre os 32 estrangeiros que morreram nos atentados de domingo no Sri Lanka, segundo informações proporcionadas por seus respectivos governos sobre os ataques que mataram quase 300 pessoas.

Entre as vítimas mortais há três dinamarqueses, que são filhos de Anders Holch Povlsen, dono da companhia de moda Bestseller e um dos homens mais ricos da Dinamarca, segundo confirmou nesta segunda-feira a empresa.

A Bestseller possui marcas como Only, Vero Moda e Jack&Jones, além de contar com uma rede de 2,7 mil lojas e presença em mais de 15 mil estabelecimentos multimarcas na Europa, nas Américas, no Oriente Médio, na Austrália e na Índia.

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, confirmou no Twitter a morte de dois australianos, ambos membros da mesma família e que viviam no Sri Lanka.

Morrison também relatou que outros dois australianos se recuperam em hospitais do Sri Lanka depois que receberam atendimento médico pelos ferimentos causados nos ataques.

O governo da Índia, por sua vez, informou sobre a morte de pelo menos cinco cidadãos do país.

No Twitter, a ministra das Relações Exteriores indiana, Sushma Swaraj, também divulgou informações sobre vários desaparecidos, ao mesmo tempo que familiares e amigos dos mesmos davam detalhes em mensagens dirigidas à ministra sobre os hotéis nos quais estavam no momento dos atentados.

Já o presidente da China, Xi Jinping, ao condenar os atentados mencionou que dois cidadãos chineses estão entre as vítimas.

Por sua vez, o Ministério das Relações Exteriores do Sri Lanka confirmou ontem que entre os mortos há pelo menos uma vítima de Portugal, duas da Turquia, três do Reino Unido e dois cidadãos com dupla nacionalidade americano-britânica.

O país asiático sofreu ontem um dos piores atentados de sua história quando seis explosões aconteceram de forma simultânea por volta das 8h45 locais (23h45 de sábado em Brasília) em três hotéis de luxo em Colombo e também em uma igreja na capital, além de outros atentados em Katana, no oeste do país, e em Batticaloa, no leste.

Horas depois, uma sétima explosão aconteceu em um pequeno hotel situado a aproximadamente 100 metros do zoológico de Dehiwala e outra em um complexo residencial em Dematagoda, também em Colombo.

Sri Lanka tenta se recuperar após ataques na Páscoa

AFP

Mais Notícias