Topo

Manifestantes dispersam após duas noites de protestos contra resultado de eleição na Indonésia

23.mai.2019 - Trabalhadores limpam as ruas depois de duas noites seguidas de manifestações contra o resultado eleitoral na Indonésia - Willy Kurniawan/Reuters
23.mai.2019 - Trabalhadores limpam as ruas depois de duas noites seguidas de manifestações contra o resultado eleitoral na Indonésia Imagem: Willy Kurniawan/Reuters

Por Maikel Jefriando e Wilda Asmarini

Em Jacarta

23/05/2019 10h31

A calma retornou às ruas da capital da Indonésia hoje após uma segunda noite de confrontos entre forças de segurança e manifestantes revoltados com o resultado da eleição do mês passado, que rendeu um segundo mandato ao presidente Joko Widodo.

Áreas do centro de Jacarta se tornaram um campo de batalha de madrugada. A polícia disparou gás lacrimogêneo e balas de borracha, e os manifestantes atiraram pedras e lançaram fogos de artifício contra policiais.

Manifestantes também lançaram paralelepípedos, destruíram placas de rua e incendiaram barracas de comida e um posto de segurança.

Os tumultos começaram depois do anúncio na terça-feira no qual a Comissão Geral Eleitoral (KPU) confirmou que Widodo derrotou seu adversário, o ex-general Prabowo Subianto, na votação de 17 de abril.

A violência irrompeu ainda na noite de terça-feira e deixou seis mortos, e mais duas pessoas morreram na noite de ontem, disseram autoridades.

O governador de Jacarta, Anies Baswedan, disse que entre os mortos há três adolescentes, e que 737 pessoas ficaram feridas durante os tumultos, a maioria no bairro central de Tanah Abang.

Protesto na Indonésia contra a reeleição de Joko Widodo - Antara Foto/Hafidz Mubarak A/ via Reuters
Protesto na Indonésia contra a reeleição de Joko Widodo
Imagem: Antara Foto/Hafidz Mubarak A/ via Reuters

Ruas que ficaram tranquilas ontem, quando os funcionários dos escritórios mantiveram distância do centro da cidade, tinham trânsito intenso novamente hoje, e varredores da prefeitura limpavam os destroços.

Widodo obteve mais de 85 milhões dos 154 milhões de votos depositados, mas Prabowo alegou "fraudes e irregularidades em massa" e se recusou a admitir a derrota.

A agência eleitoral disse não haver indícios de fraude sistemática, e observadores independentes disseram que a votação foi livre e justa.

Na ilha de Madura, ao nordeste da ilha principal de Java, uma multidão incendiou uma delegacia, e dois postos policiais foram incendiados em Pontianak, na ilha de Bornéu, noticiou a mídia.

(Reportagem adicional de Cindy Silviana, Bernadette Christina Munthe, Gayatri Suroyo, Kanupriya Kapoor, Fransiska Nangoy e Fanny Potkin)

Mais Internacional