PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Trump pediu que Departamento de Justiça revertesse resultado da eleição, diz comissão da Câmara

30.jun.2021 - O ex-presidente dos EUA Donald Trump durante discurso em Pharr (Texas), na fronteira com o México - Brandon Bell/Getty Images/AFP
30.jun.2021 - O ex-presidente dos EUA Donald Trump durante discurso em Pharr (Texas), na fronteira com o México Imagem: Brandon Bell/Getty Images/AFP

Por Sarah N. Lynch

30/07/2021 14h34Atualizada em 30/07/2021 15h11

WASHINGTON (Reuters) - O então presidente Donald Trump pressionou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos para reverter os resultados da eleição presidencial de 2020, segundo documentos internos divulgados hoje pelo presidente do Comitê de Supervisão e Reforma da Câmara dos Deputados.

As notas escritas a mão pelo então procurador-geral interino Richard Donoghue formam um quadro comprometedor para Trump, porque ele desesperadamente tentou que o Departamento de Justiça tomasse a medida sem precedentes de intervir na eleição presidencial, que ele perdeu.

As notas detalham uma ligação telefônica de 27 de dezembro na qual Jeffery Rosen, nomeado procurador-geral interino alguns dias depois, teria dito a Trump: "Entenda que o DOJ (sigla de Departamento de Justiça em inglês) não pode não vai estalar os dedos mudar o resultado da eleição".

"Não espero que vocês façam isso", respondeu Trump. "Apenas diga que as eleições foram corruptas e deixe o resto comigo e com os parlamentares R", em referência aos republicanos.

O fato de que o Departamento de Justiça permitiu que as notas escritas a mão fossem entregues para investigadores parlamentares marca uma guinada dramática para Trump, que várias vezes evocou privilégio executivo para driblar o escrutínio do Congresso.

O republicano Trump perdeu sua tentativa de reeleição para o democrata Joe Biden.

Internacional