Topo

Conteúdo publicado há
10 meses

Fávaro avalia não comparecer ao Agrishow após "desconvite" para abertura do evento, diz fonte

Segundo uma fonte, ministro foi procurado pela organização para que não participasse da abertura para não cruzar com o ex-presidente Jair Bolsonaro. - FáTIMA MEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
Segundo uma fonte, ministro foi procurado pela organização para que não participasse da abertura para não cruzar com o ex-presidente Jair Bolsonaro. Imagem: FáTIMA MEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

Lisandra Paraguassu

Em Brasília

26/04/2023 12h48

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, avalia não comparecer à Agrishow, uma das maiores feiras do setor agropecuário do país, depois de ter sido procurado pela organização para que não participasse da abertura para não cruzar eventualmente com o ex-presidente Jair Bolsonaro, segundo uma fonte com conhecimento do assunto.

Mais cedo, a Revista Globo Rural publicou que o ministro havia sido "desconvidado" por conta da possível presença de Bolsonaro no dia da abertura. A informação foi confirmada pela Reuters por uma fonte próxima ao ministro, que preferiu não ser identificada.

Segundo essa fonte, o vice-presidente da Associação Brasileira de Agronegócio e presidente da feira, Francisco Matturro, ligou para Fávaro para "sugerir" que ele não fosse à abertura da feira, no dia 1º de maio, por causa da presença de Bolsonaro.

O ministro já havia confirmado que estaria na abertura, já que esse é um momento que reúne as autoridades no local, segundo a fonte.

Fávaro agradeceu o aviso e, por enquanto, decidiu não comparecer ao evento em nenhum outro dia, disse a fonte.

O Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), é uma das maiores feiras do setor, especialmente na venda de máquinas e equipamentos agrícolas.

A intenção do ministro, era anunciar, no local, a liberação de 400 milhões de reais para equalização do Plano Safra 2022/2023, ainda em vigor, e alguns números do programa de financiamento deste ano, que será apresentado oficialmente em junho, segundo a fonte.

O constrangimento criado pela situação mostra a dificuldade que o atual governo ainda tem de conviver com alguns setores do agro, muito ligados a Bolsonaro.

Apesar de ter havido avanços na relação —na viagem a China, vários representantes do setor foram na comitiva presidencial—, ainda há divisões.

Procurado, o Ministério da Agricultura não comentou oficialmente o tema.

Agrishow mantém convite

À Reuters, Matturro garantiu que o convite a Fávaro se mantém e que não existe a previsão oficial da presença de Bolsonaro.

"Não existe convite ao ex-presidente, nós só convidamos autoridades constituídas. Existem rumores de um pessoal dele de que ele estaria na feira, mas não existe nada oficial", garantiu o vice-presidente da Abag.

"Jamais faríamos isso com qualquer ministro, o ministro é nosso convidado de honra. É a primeira pessoa que convidamos. Nunca um ministro faltou à abertura do Agrishow desde 1994", continuou.

Em seguida, a direção da Agrishow divulgou uma nota em que reafirma o convite feito a Fávaro.

"Para a direção da Agrishow, o ministro vem realizando um ótimo trabalho, com muita competência para o desenvolvimento do agronegócio brasileiro e sua participação na feira é muito importante para todo o setor", diz o texto.

Segundo a fonte ouvida pela Reuters, por enquanto ao menos não há previsão do ministro mudar de ideia e comparecer à feira. Uma das razões é justamente o espaço que a organização do Agrishow estaria dando para a presença de Bolsonaro, mesmo que não oficialmente, e o risco de confusão com apoiadores do ex-presidente.