Marcelo Carnaval/Agência O Globo

Violência no Rio

Homicídios aumentam 16% no RJ; Baixada Fluminense e Niterói lideram

Leandro Prazeres

Do UOL, em São Paulo

Dados divulgados nesta terça-feira (18) pelo ISP (Instituto de Secretaria de Segurança Pública) do Rio de Janeiro, apontam que o número de homicídios dolosos aumentou 16% no estado entre 2012 e 2013.

De acordo com os dados, as regiões da Baixada Fluminense e Grande Niterói lideraram o aumento. Segundo o relatório consolidado dos dados da violência, em 2013, foram registrados 4.761 homicídios em todo o Estado do Rio. Em 2012, foram 4.081.

Na Grande Rio, o aumento no número de homicídios foi de 8%, saltando de 1.206 em 2012 para 1.323 em 2013. O interior do Estado também respondeu por um aumento mais tímido do número de homicídios, oscilando em 8%.

No entanto, a Baixada Fluminense viu um aumento de 25% no número de homicídios dolosos, saindo de 1.381 em 2012 para 1.728 em 2013. O percentual é quase o mesmo das tentativas de homicídios, que subiram 26% entre 2012 e 2013.

O maior aumento percentual na taxa de homicídios no Rio de Janeiro foi na Grande Niterói. Entre 2012 e 2013, o crescimento foi de 31%, saindo 407 para 536. Comparando os últimos trimestres de 2012 e 2013, o aumento foi de 46%.

Niterói

O aumento da violência em Niterói vem preocupando as autoridades de segurança pública do Rio de Janeiro desde meados de 2013. Em agosto, o governo chegou a afirmar que o cresci mento da violência em Niterói era resultado do deslocamento de policiais para conter os protestos do ano passado.

Em janeiro deste ano, para tentar conter o aumento da violência em Niterói, o governo instalou uma delegacia de homicídios e uma Companhia Destacada de polícia na cidade.

Para o coordenador do Laboratório de Análise da Violência da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), Ignácio Cano, as medidas ainda são insuficientes e mostram que, historicamente, as políticas de segurança pública no Estado ainda negligenciam a Baixada Fluminense.

"A Baixada é a região mais violenta do Estado, mas quase todas as políticas públicas de segurança são focadas na capital. Lá não tem UPP, lá não tem quase nada. Há dois anos que a violência vem aumentando significativamente por lá e pouco ou nada é feito", critica o especialista.

Por meio de nota, a SSP disse que o aumento no número de homicídios ocorreu em comparação com o ano de 2012, que foi, segundo o governo, o "melhor" ano da atual gestão no combate à violência.

A nota também destaca que, quando Sérgio Cabral (PMDB) assumiu o governo (em 2007), o Rio de Janeiro tinha uma taxa de homicídios de 41,3 por 100 mil habitantes e que em 2013 a taxa foi de 28,9 por grupo de 100 mil habitantes.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos