Topo

CarnaUOL

Blocos de rua


Nem bota ortopédica impede Léo Santana de transformar Anhembi em Bahia

Bloco da Santinha, comandado por Léo Santana, na Arena Carnaval SP - Junior Lago/UOL
Bloco da Santinha, comandado por Léo Santana, na Arena Carnaval SP Imagem: Junior Lago/UOL

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

23/02/2019 17h30

Léo Santana chegou ao Pavilhão do Anhembi, em São Paulo, hoje usando uma bota ortopédica, após um acidente que ele teve jogando bola. Mas o público que se reuniu para a estreia do "Bloco da Santinha", uma das atrações do "Arena Festival", na capital paulista, jamais saberia disso, uma vez que ele a tirou para subir em seu trio elétrico e hipnotizar os presentes com seu rebolado.

Quando falou ao UOL, o cantor foi categórico sobre o queria levar para a folia paulistana: "Bahia. Bahia literalmente. Quando se fala em Carnaval, em música alegre, lembra-se logo da Bahia. Vou fazer uma Barra Ondina aqui, circuito Campo Grande. É um público totalmente diferente, mas ao mesmo tempo tempo a música está na boca do povo. Tenho certeza que a galera vai cantar com bastante força".

De fato, tudo lembrava as cenas mais associadas ao Carnaval baiano: um espaço lotado, onde foliões precisavam andar quase grudados, muitos pulos, rebolados e gritos. Tudo isso sob um forte sol e um público que sabia de cor as letras dos hits de Léo, como "Crush Blogueirinha" e "Santinha".

O fervo era total. Conforme o trio andava em círculos, o pavilhão se transforma em uma grande avenida, na qual as pessoas seguiam o ritmo da música seja requebrando ou descendo até o chão. Também não faltaram garrafas e latas, que se amontoaram pelo chão. 

Morgana Cristina, 27, que já trabalhou como dançarina em grupos e já participou  de micaretas, ficou encantada dom a energia que tomou o Anhembi e reforçou o coro: a Bahia é aqui. "Já curti muito as micaretas. Eu acharia sensacional trazer sempre uma micareta assim aqui pra São Paulo. Só quem gosta mesmo de pagodão assim da Bahia que vai entender", disse ela. 

Até a apresentação de Léo, a organização dava conta que aproximadamente 30 mil foliões tinham vindo curtir um pedaço da Bahia. O amor do cantor era tanto, que ele decidiu anunciar que o segundo DVD de sua carreira solo será gravado em São Paulo.

"Não deve nada"

Xand Avião e seu Bloco do Comandante no Anhembi, em São Paulo - Junior Lago/UOL
Xand Avião e seu Bloco do Comandante no Anhembi, em São Paulo
Imagem: Junior Lago/UOL
Léo terminou de cantar, mas o pavilhão continuou cheio. Isso porque os foliões se preparavam para a segunda parte do "Arena Festival": o "Bloco do Comandante", comandando por Xand Avião.E a vibe continuou a mesma. O cantor chegou a declarar para o público, do alto de seu trio elétrico, que "São Paulo não devia mais nada à Bahia" em termos de Carnaval.

O apresentador Luiz Bacci, que acompanhava a folia, endossou. "Pela falta de tempo queria muito ter um Carnaval semelhante ao de Salvador em São Paulo. Fiquei encantado com essa ideia do Anhembi, dá pra você fazer o camarote pra quem gosta do Carnaval mais tranquilo. Para marcar esse início de Carnaval no Anhembi não tinha escolha melhor do que o Xandy e o Léo Santana", disse ele.

E de fato, o público, mesmo com o cair da noite e chegada de ventos, chuva e trovões, continuou vibrando ao som das canções de Xandy. "Nós queremos o Carnaval da Bahia aqui em São Paulo. São Paulo é o melhor lugar pro Carnaval. O calor da Bahia está aqui em São Paulo. É parecido e vai ser melhor ainda no próximo ano", diz Elaine de Fátima, 52, que já conheceu o Carnaval de Salvador. 

Blocos de rua