PUBLICIDADE
Topo

Carlos Madeiro

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

NE: Segurança de Lula tem carro blindado, ruas fechadas e público revistado

 Bolsonaro "vai ter que aprender a perder", diz Lula  -  O Antagonista
Bolsonaro "vai ter que aprender a perder", diz Lula Imagem: O Antagonista
Carlos Madeiro

Formado em jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas e com especialização em gestão de conteúdo em jornalismo pela Universidade Mackenzie, Carlos Madeiro atua há 20 anos e escreve para o UOL desde 2009, participando de grandes coberturas e fazendo reportagens e análises sobre o Nordeste e o Norte do Brasil.

Colunista do UOL

19/06/2022 04h00

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido

A passagem de Luiz Inácio Lula da Silva por três capitais do Nordeste, entre quinta-feira (16) e sábado (18), evidenciou como a segurança se tornou um tema tratado com cuidado pela pré-campanha do ex-presidente. O esquema conta com ruas fechadas, carro blindado e revista com detector de metais ao público presente aos atos

No giro pela região, os horários de voos, trajeto e locais de hospedagem foram mantidos em sigilo pela equipe, que não informava qualquer detalhe sequer a jornalistas.

Segundo apurou a coluna, a polarização cada vez mais aguçada, os protestos de bolsonaristas por onde o petista passa e o episódio envolvendo o drone que jogou veneno em apoiadores de Uberlândia (MG), no dia anterior à chegada em Natal, deixaram todos em um nível de alerta ainda maior.

O UOL teve acesso a alguns bastidores da visita dele a Maceió, onde o ex-presidente e a equipe dormiram por duas noites (quinta e sexta).

Para evitar troca de local de hospedagem, aliás, Lula optou por dormir apenas na capital alagoana, no meio do trajeto, onde ficou em um resort isolado na praia de Jatiúca.

Ao todo, na capital alagoana, o esquema de segurança contou com 70 policiais militares e 20 guarnições. O efetivo foi acionado para a escolta da comitiva, a segurança do entorno do hotel e o evento no Centro de Convenções.

Por ser ex-presidente, Lula conta com segurança institucional. Ele é constantemente acompanhado por militares.

O esquema de segurança pôde ser visto a quase um quilômetro do local do evento. O trânsito foi fechado nas ruas do entorno, e apenas a pé era possível chegar ao vigiado Centro de Convenções de Maceió.

Na saída do Centro de Convenções, a reportagem contou ao menos dez viaturas, três delas da tropa especial, que faziam a segurança em diversos pontos no entorno do local, no bairro de Jaraguá. A situação foi a mesma em Aracaju e Natal.

Evento de Lula em Aracaju também contou com grande aparato de segurança - Marcelo Ferraz/UOL - Marcelo Ferraz/UOL
Evento de Lula em Aracaju também contou com grande aparato de segurança
Imagem: Marcelo Ferraz/UOL

Episódio alertou equipe

Em Maceió, um episódio deixou a equipe ainda mais em alerta: um vídeo feito pelo deputado estadual Cabo Bebeto (PL) informava horário e trajeto do ex-presidente.

O caso revoltou petistas, que trataram o vídeo do deputado como um risco ao ex-presidente.

"Ele teve informações privilegiadas, deu todo o roteiro para que os cães de guarda do Bolsonaro possam inclusive planejar um ataque. A nossa militância tem de ter muita prudência, coragem e fazer a defesa do nosso presidente Lula", disse o deputado federal Paulão (PT-AL), em áudio que circulou nesta sexta-feira.

Segundo apurou o UOL, porém, os detalhes passados pelo deputado estavam, em boa parte, errados. "Isso não foi vazado porque não estava certo, foi chute", disse uma fonte do governo estadual, citando que não haverá investigação de vazamento indevido de informações.

Apesar do fato, Lula circulou por Alagoas sem problemas. Apenas houve um pequeno grupo de bolsonaristas que se concentrou ao lado do Centro de Convenções para protestar contra a visita, sem relato de incidentes.

Segurança no local

Na entrada do Centro de Convenções, seguranças particulares faziam revista com detectores de metal, o que também ocorreu em Natal e Aracaju. Em caso de o aparelho indicar algo suspeito, o material suspeito passava por revista.

Seguranças revistam todos com detector de metais na entrada de evento em Maceió  - Carlos Madeiro/UOL - Carlos Madeiro/UOL
Seguranças revistam todos com detector de metais na entrada de evento em Maceió
Imagem: Carlos Madeiro/UOL

O roteiro é diferente, por exemplo, da última visita de Lula a Maceió, durante uma caravana pelo Nordeste, em 2017, pouco antes de ser preso e passar 580 dias na sede da PF (Polícia Federal) em Curitiba.

No hotel onde se hospedou desta vez, Lula fez as refeições apenas no quarto, ao lado da esposa Janja. Segundo funcionários, ele não circulou pelo hall, nem pelo restaurante, evitando contato com outros hóspedes.

O deslocamento do ex-presidente em Maceió só ocorreu do aeroporto para o hotel e, depois, para o Centro de Convenções e um jantar na casa do vice-governador José Wanderley Neto (MDB). Os percursos ocorreram em um veículo Trail Blazer blindado, sempre escoltado por seguranças e policiais.

Lula chegou ao Centro de Convenções pelo portão dos fundos e, ao contrário do que fazia muitas vezes, não teve contato corpo a corpo com o público: falou apenas do palco, sem abraços ou selfies.

revista - Carlos Madeiro/UOL - Carlos Madeiro/UOL
Revista a apoiadores fez formar uma grande fila na entrada do Centro de Convenções
Imagem: Carlos Madeiro/UOL

A situação se repetiu nas demais cidades onde houve eventos abertos ao público, em Natal e Aracaju.

Em Maceió e Natal ele chegou a ter contato com apoiadores, mas em eventos restritos a convidados: na capital potiguar foi a uma feira da reforma agrária com governadores e, na alagoana, reuniu-se no hotel com integrantes da cultura.