Carlos Madeiro

Carlos Madeiro

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

Golpistas atacam Exército nas redes após prisões: 'Tirem a mão da bandeira'

Como já virou rotina, apoiadores do golpe militar frustrados com o Exército após a eleição de Lula em 2022 atacaram a instituição nas redes sociais. Eles fizeram comentários depreciativos, em postagens recentes no perfil do Exército.

Desde ontem, após a operação da PF que investiga se houve tentativa de golpe em 2022, mais de 6 mil comentários foram feitos somente no Instagram em duas postagens, com ampla maioria criticando a instituição.

Muitos apoiadores de um golpe de Estado criticaram a foto da bandeira do Brasil que é segurada por militares.

A postagem da quarta-feira (7) à noite foi uma menção à Operação Ágata Fronteira Oeste 2, realizada em parceria com o Exército do Paraguai.

Tirem vossa [sic] mão da Bandeira. Vcs mancharam nossa bandeira com sangue de patriota.
Comentário de internauta, com 1,8 mil curtidas até as 14h

Ainda nos comentários, vários internautas acusam o Exército de "se aliar" ao presidente Lula e criticam a falta de ação dos militares contra o atual governo.

Nos bastidores do Exército, o comentário é que antes a instituição sofria críticas da esquerda, e agora sofre também da direita, segundo apurou o UOL.

Continua após a publicidade

Veja alguns comentários:

Braço esquerdo mão petista.

Perdeu completamente a credibilidade? Seus chefes dobraram os joelhos para o Lula.

O crédito do exército brasileiro está igual ao presidente, sem credibilidade nenhuma, traiu a nação.

Os inimigos que vcs deveriam combater não estão além das fronteiras, pelo contrário, estão no centro político do Brasil.

Mais ofensas

No X (antigo Twitter), os comentários feitos nas duas postagens publicadas hoje também tiveram tom crítico, e muitos focaram nos militares que foram alvo da operação da PF, sem uma "reação" do Exército.

Continua após a publicidade

Ataques vêm desde a posse

Desde a posse de Lula, em 1º de janeiro de 2023, internautas que defendiam que o Exército tomasse o poder criticam a postura da instituição em postagens da instituição nas redes sociais.

Continua após a publicidade

Até a véspera da posse, havia várias teorias da conspiração de que as Forças Armadas estavam planejando não permitir que Lula assumisse o cargo. A inação do Exército foi considerada pelo grupo que se autointitula de "patriotas" de "traição."

Com a posse confirmada, uma publicação do Exército no X com um "toque de alvorada" —que anuncia um novo dia, um novo momento— revoltou os golpistas que ainda esperavam a continuidade de Jair Bolsonaro a a assunção de um outro militar ao posto de presidente.

Desde então, vários momentos os internautas despejaram suas mágoas nos comentários, especialmente em momentos mais turbulentos, como a operação contra Bolsonaro no caso da falsificação do cartão de vacina e nas comemorações do 7 de setembro.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes