PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

Líder do governo diz que não haverá extensão do auxílio emergencial

Líder do governo, deputado federal Ricardo Barros - Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Folhapress
Líder do governo, deputado federal Ricardo Barros Imagem: Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Folhapress
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

24/11/2020 12h42

Entre as muitas dúvidas quanto ao cenário econômico e político de 2021, uma das principais é saber se haverá ou não extensão do auxílio emergencial. O peso político do benefício foi verificado nas últimas pesquisas que mostraram alta de popularidade de Jair Bolsonaro onde antes ele tinha dificuldade de ser aceito, como o Nordeste.

Já pelo viés da economia, a questão tem dois lados. O auxílio é fundamental para o sustento de milhões de brasileiros, mas o governo não achou uma fórmula para custear a continuação do pagamento sem furar o teto de gastos.

Apesar de negar que haverá mais parcelas do benefício no ano que vem, a verdade é que Paulo Guedes ainda quebra a cabeça para tentar uma saída.

Porém, para o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), a questão já está decidida.

"Não haverá extensão do auxílio emergencial", afirmou ele à coluna.

O motivo é simples: "Não está previsto orçamento de guerra para 2021", explicou Barros.

Ou seja, o líder não cogita qualquer gambiarra para furar o teto.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.