PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

Cotado para o Ministério da Saúde, Barros resiste e diz não torcer por isso

O deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, até tenta elogiar Pazuello. Tudo para fugir da "encrenca" que seria gerir o ministério - Gustavo Sales/Câmara dos Deputados
O deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, até tenta elogiar Pazuello. Tudo para fugir da "encrenca" que seria gerir o ministério Imagem: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

04/01/2021 12h04

Caso se concretize a troca de comando no Ministério da Saúde após o início do programa de imunização contra a covid-19, os integrantes do governo não terão facilidade para convencer o atual líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), a assumir a pasta.

Procurado pela coluna para comentar a informação de que alguns ministros — especialmente os militares — torcem para que ele seja o futuro ministro da Saúde, Barros comentou: "Mas eu não".

O deputado ocupou o cargo no governo de Michel Temer na Presidência.

Barros até fez um pouco convincente elogio a Pazuello para justificar que tudo deve continuar como está. Mas qualquer brasileiro sabe que a pasta, em meio à pandemia e sob influência direta do presidente Jair Bolsonaro, é uma verdadeira encrenca.

Não é uma questão fechada, mas quem quiser convencer o líder do governo a descascar esse abacaxi terá que gastar muita saliva. Feita a troca no ministério, seria o quarto ministro da Saúde brasileiro durante a pandemia da covid-19 no país.