PUBLICIDADE
Topo

Rogério Gentile

Igreja de RR Soares é condenada a pagar dívida de R$ 16 mi do "Show da Fé"

O missionário R.R. Soares - Reprodução/Instagram
O missionário R.R. Soares Imagem: Reprodução/Instagram
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

16/09/2021 08h26

A Justiça de São Paulo condenou a Igreja Internacional da Graça de Deus, fundada pelo missionário RR Soares, a pagar uma dívida de cerca de R$ 16,2 milhões com o fundo de investimento Distressed.

A dívida é referente ao aluguel de três meses (maio, junho e agosto de 2020) da grade de programação da TV Bandeirantes, na qual é exibido o "Show da Fé", comandado pelo missionário.

O valor deve ser pago ao Distressed, no entanto, pois, de acordo com o processo aberto contra a Igreja, a Band, a fim de antecipar receitas, assinou um contrato por meio do qual cedeu diversos créditos de anunciantes ao fundo de investimento, incluindo os da instituição religiosa. Ou seja, segundo a decisão judicial, a Igreja Internacional da Graça de Deus deveria ter pago os valores do aluguel para o Distressed, mas não o fez.

A Igreja de RR Soares, que ocupa o horário nobre da Band desde 2003, se defendeu no processo argumentando que, no início de 2020, com a pandemia, renegociou os termos do contrato de arrendamento da grade com a emissora.

Disse também à Justiça não estar inadimplente, pois fez, de "boa-fé", os pagamentos diretamente à Band, seguindo as cláusulas do aditivo contratual.

O juiz Daniel Serpentino não aceitou a argumentação. Segundo o magistrado, o fundo adquiriu "regularmente" o crédito e "não concordou com qualquer redução" no valor do aluguel mensal (cerca de R$ 5,4 milhões). "Por mais que aponte boa-fé em suas ações, caberia à Igreja realizar o pagamento a quem de direito."

A Igreja Internacional da Graça de Deus ainda pode recorrer da decisão.

Sobre o processo, a Band disse à coluna que "o caso está sub judice" e que "as alegações do fundo são improcedentes".