Rogério Gentile

Rogério Gentile

Siga nas redes
Reportagem

Marido de Ana Hickmann já foi condenado por ofensa a médico cubano

O empresário Alexandre Bello Correa, acusado de violência doméstica contra a apresentadora Ana Hickmann, já foi condenado pela Justiça paulista por ofensas contra um médico cubano.

O marido de Hickmann, em fevereiro de 2017, foi atendido na emergência do hospital Samaritano de Sorocaba, no interior paulista, após passar mal em sua casa de campo localizada na cidade vizinha de Itu. Estava com dificuldade para respirar e com uma forte dor de cabeça.

Dias depois, considerando não ter sido bem atendido no hospital, passou a atacar o médico de nacionalidade cubana que o havia atendido.

Ele postou a foto do médico e afirmou: "caso se veja na frente dele em um pronto-socorro, corra. Ele não sabe o que faz." Na sequência, dirigindo-se ao Conselho Regional de Medicina (CRM), disse: "Não permita que um estrangeiro faça isso com a nossa população".

Em um novo post no qual relatou ter passado por um novo atendimento, desta vez no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, voltou a atacar o médico de Sorocaba, a quem chamou de "bosta":

"Moral da história: médico cubano é igual a petista: não vale porra nenhuma!"

No processo aberto contra o empresário, o médico afirmou ter sido vítima de xenofobia. Disse também que, em razão da repercussão das publicações, foi demitido do hospital.

"Como se não bastasse a perda do emprego, o autor [do processo] teve consequências ainda mais graves, pois, além de ser hostilizado na rua por pessoas da cidade, ainda se viu diante de um quadro de depressão pelo ocorrido", afirmou seu advogado à Justiça.

O empresário se defendeu no processo afirmando não ter cometido conduta ilícita. Disse que, por possuir uma saúde extremamente frágil, é "absolutamente neurótico com qualquer tipo de doença".

Continua após a publicidade

Ele afirmou que, na ocasião, ficara extremamente indignado com o "diagnóstico precipitado e equivocado" dado pelo médico, que havia "colocado sua vida em risco". As publicações nas redes sociais, afirmou no processo, foram um "desabafo".

"Em nenhum momento, Correa proferiu palavras de baixo calão contra a pessoa do médico, não o esculachou ou até mesmo o humilhou com as suas expressões, apenas relatou com tom de indignação o que realmente ocorreu, alertando para as pessoas que moram em Sorocaba sobre o atendimento e a experiência péssima que teve", afirmou sua defesa à Justiça.

O empresário foi condenado em primeira e em segunda instância a pagar uma indenização de R$ 10 mil ao médico, valor a ser atualizado por correção monetária e juros.

Na decisão tomada em dezembro do ano passado, o desembargador Enéas Garcia, relator do processo, destacou que as publicações superaram o âmbito do direito de crítica, enveredando para o campo da ofensa pessoal.

O marido de Hickmann já recorreu da decisão, e o caso vai ser analisado pelo Superior Tribunal de Justiça.

Em relação ao boletim de ocorrência registrado no final de semana por Ana Hickmann, ele pediu desculpas pelo "desentendimento" nas redes sociais.

Continua após a publicidade

"Situação absolutamente isolada que não gerou maiores consequências. Gostaria de esclarecer que jamais dei uma cabeçada nela, como inveridicamente está sendo veiculado na imprensa, e que tudo será devidamente esclarecido no momento oportuno", afirmou

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes