PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Bombeiros confirmam 58 mortos em Brumadinho; 305 estão desaparecidos

Alex Tajra e Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

27/01/2019 20h34Atualizada em 27/01/2019 22h42

O Corpo de Bombeiros informou, na noite deste domingo (27), que pelo menos 58 pessoas morreram em decorrência do rompimento da barragem em Brumadinho (MG).

Até o momento, 192 pessoas foram resgatadas com vida, mas nenhum sobrevivente foi encontrado neste terceiro dia de buscas. Somente neste domingo, 21 corpos foram localizados. A Polícia Civil confirmou a identificação de 19 mortos (veja abaixo)

Segundo os bombeiros, 305 pessoas estão desaparecidas. O número, que antes era de 287, aumentou porque famílias procuraram as equipes que participam da operação de resgate, ao longo do dia, para cadastrar nomes de seus parentes.

Nesta noite, mais um ônibus foi encontrado soterrado pela lama em uma região próxima ao local onde ficava a área administrativa da Vale. Ainda não há informações sobre quantas pessoas estão dentro do veículo. No sábado (26), foi encontrado um ônibus com dez mortos.

"Não sabemos a quantidade de corpos no ônibus ainda, mas os trabalhos estão sendo feitos. Por conta desse fato, vamos estender as buscas neste domingo", afirmou o tenente-coronel Flávio Godinho, da Defesa Civil de Minas Gerais. 

Mapa Brumadinho - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Profundidade da lama chega a 15 metros

O tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros, informou que os oficiais já atuam no local para abrir um caminho de acesso ao interior do ônibus. Segundo ele, há regiões onde a lama pode chegar a 15 metros de altura.

"O trabalho é demorado. Não é uma questão de colocar mais gente nos locais. O serviço de escavação é específico. Temos locais com 15 metros de lama", disse.

Aihara afirmou ainda que os bombeiros estão com dificuldade para conseguir acessar a região onde ficava o refeitório da Vale. "Como ele estava logo abaixo da barragem, pela força da lama, é bem possível que ele tenha se deslocado", afirmou. Segundo o tenente, os bombeiros também trabalham para acessar a região da Pousada Nova Estância, que foi totalmente destruída

Apesar de destacar que os bombeiros ainda trabalham com a expectativa de encontrar sobreviventes, Aihara afirmou ser possível que, devido à dimensão da tragédia, "existe a possibilidade de alguns corpos não serem recuperados".

A partir desta segunda-feira (28), devem ser utilizados equipamentos trazidos por uma missão israelense. Segundo o governo de Minas Gerais, 136 militares israelenses irão auxiliar nos trabalhos de buscas e salvamentos das vítimas da barragem. A expectativa é que a comitiva desembarque no Aeroporto Internacional de Confins ainda esta noite.

Mortos identificados

O Instituto Médico Legal já identificou 19 das vítimas da queda da barragem. Os nomes foram confirmados pela Polícia Civil do estado. Veja os nomes das vítimas que já foram identificadas:

  • Marcelle Porto Cangussu
  • Jonatas Lima Nascimento
  • Carlos Roberto Deusdedit
  • Leonardo Alves Diniz
  • Fabrício Henriques da Silva
  • Robson Máximo Gonçalves
  • Eliandro Batista de Passos
  • William Jorge Felizardo Alves
  • Djener Paulo Las-Casas Melo
  • Wellington Campos Rodrigues
  • Mauricio Lauro de Lemos
  • Adriano Caldeira do Amaral
  • Flaviano Fialho
  • Daniel Muniz Veloso
  • Moisés Moreira Sales
  • Francis Marques da Silva
  • Marcelo Alves de Oliveira
  • Renato Rodrigues Maia
  • David Marlon Gomes Santana

Sirenes e evacuação

Mais cedo neste domingo, moradores de quatro regiões, incluindo o centro de Brumadinho, foram retirados de suas casas devido ao risco iminente de rompimento da barragem 6, que também pertence à mineradora Vale. O trabalho de buscas chegou a ser suspenso pela manhã, sendo retomado por volta das 15h pelos bombeiros.

Minutos antes de anunciar a retomada das buscas, Godinho e um representante do Corpo de Bombeiros informaram que ao menos 3.000 pessoas seriam evacuadas. No total, segundo as primeiras avaliações das autoridades, ao menos 24 mil pessoas estariam em áreas de risco.

A partir deste domingo, o espaço aéreo da região ficará fechado para aeronaves em geral por determinação da Aeronáutica. O objetivo é facilitar ações de resgate. "Somente aeronaves envolvidas nas ações de resgate podem sobrevoar o local", disse um porta-voz dos bombeiros.

Cotidiano