Conteúdo publicado há 4 meses

Avô que teve apartamento incendiado por neta diz que a perdoa: 'É meu xodó'

O homem de 70 anos que precisou pular do quarto andar de um prédio em Patos de Minas (MG), no último sábado (14), após a neta atear fogo no sofá que incendiou o apartamento, afirmou perdoar a menina de 11 anos, que ele diz ser seu "xodó". Ele deu entrevista ao jornal O Globo.

O que aconteceu:

O avô, que não teve a identidade revelada pelo jornal para preservar a identidade da neta, disse que a criança costumava ficar em sua casa para que sua filha, que é mãe solteira, pudesse trabalhar. Em entrevista ao O Globo, ele contou que desde criança a neta apresentava sinais de um comportamento "fora do normal", como fugir de casa e ser encontrada na residência de um padrinho cinco bairros distantes de onde morava, quando tinha 7 anos.

Ela oscila. Às vezes tá muito calada, outras horas muito falante, às vezes triste, outras muito alegre. Ela toma medicação para controlar [os sintomas] desde muito pequena, mas não tem cura, infelizmente.

Segundo o idoso, o estopim para o ocorrido teria sido a proibição pelos avós da neta em usar o celular. A proibição foi porque eles se assustaram ao ver que a menina teria feito buscas na internet sobre assuntos impróprios para a idade, referentes a bruxaria.

Em relação ao dia do incêndio, o avô contou que não pode afirmar que a menina provocou o fogo, porque ele estava dormindo no quarto e não viu. Entretanto, ele diz acreditar "que ela não tenha feito isso, mas, se fez, está perdoada". Segundo a Polícia Militar de Minas Gerais, a menina disse aos agentes que atenderam a ocorrência que colocou fogo no sofá, trancou os avós dentro do quarto e desceu para andar de patins no pátio do prédio.

[Naquele sábado havíamos chegado de viagem] às cinco horas da manhã. Eu estava cansado, não tinha dormido nada. Mas, como de hábito, eu fui estudar a palavra na Bíblia, como faço todo sábado de manhã. Depois, por volta das três da tarde, depois de almoçar, fui deitar. Minha mulher já estava dormindo. Cansado, eu peguei logo no sono. Uma hora depois, não vou saber precisar, acordei sentindo cheiro de fumaça entrando pelo quarto e algo estalando, barulho de fogo queimando material. Pensei: 'está pegando fogo dentro de casa'. Tentei abrir a porta mas estava trancada por fora, eu não tinha como abrir de dentro para fora.

Em meio ao incêndio, o idoso destacou que sua esposa estava preocupada com a possibilidade de a neta ter morrido nas chamas. O homem tentou abrir a porta, mas o buraco que fez possibilitou a entrada de fumaça e dificultou a respiração. Foi quando decidiu que pulariam pela janela.

Eu falei para a minha mulher, que estava muito nervosa com a netinha, não temos condição de ir lá fora. Ou nós pulamos ou morreremos asfixiados. É melhor a gente tentar pular. De qualquer maneira, vamos morrer. Minha nega, pelo menos, vamos morrer tentando.

Os dois pularam do quarto andar do prédio, de uma altura equivalente a 12 metros. A queda foi amortecida por colchões espalhados embaixo da janela pelos vizinhos. Passado o susto, o homem, que é evangélico, falou em milagre por terem escapado vivos. "Toda honra e glória pertence a Deus", afirmou.

Continua após a publicidade

Ele diz que desde o ocorrido manteve pouco contato com a neta, que afirma ser seu "xodó" e disse a ela que a "perdoa". "Sou como um pai para ela. Ela é meu xodó", declarou o idoso, que tem outro filho e mais três netos.

Ainda, ele criticou o que chamou de "tribunal da internet" que está "massacrando" a menina. "Na internet, tem 36 milhões de pessoas massacrando a minha neta, e ninguém para ajudar", afirmou.

Atualmente, a menina está sob acompanhamento psicológico e, segundo o avô, tem mantido silêncio em relação ao ocorrido. Como o apartamento está inabitável, ele foi morar com a filha, enquanto sua esposa permanece internada no Hospital Regional Antônio Dias e deve passar por uma cirurgia nas pernas — a mulher quebrou dois dedos dos pés e o tornozelo ao pular do quarto andar.

Com o incêndio, o idoso perdeu todos os móveis e eletrodomésticos do apartamento. Moradores do condomínio criaram uma vaquinha para ajudar o casal e estão recebendo doações por Pix (estivapatense@gmail.com).

O Conselho Tutelar de Patos de Minas acompanha o caso e a Polícia Civil investiga quais foram as causas do incêndio.

O incêndio

O incêndio começou após a criança de 11 anos atear fogo no sofá da sala, e as chamas tomarem conta do apartamento, segundo o tenente da Polícia Militar de Minas, Thiago Rocha.

Continua após a publicidade

O Corpo de Bombeiros foi acionado para conter as chamas e uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) também foi solicitada para prestar socorro aos feridos que pularam pela janela.

Segundo a PM de Minas Gerais, a menina disse ter colocado fogo no sofá, deixado os avós trancados e descido para andar de patins. Por ser menor de 12 anos, ela não foi levada para a delegacia e está sob os cuidados da mãe.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes