Conteúdo publicado há 4 meses

'Uber Presente': motorista que fingia ser policial é autuado por ameaça

Um motorista de aplicativo que se passava por Policial Militar e gravava vídeos para a internet foi preso e autuado por ameaça ontem no Rio de Janeiro. A prisão foi feita após denúncia de um morador.

O que aconteceu

Rodrigo Peixoto, influenciador digital e suposto motorista de Uber, fazia suas corridas se passando por policial aos passageiros. Além disso, se apresentava como "Uber Presente" e gravava vídeos fazendo pegadinhas com os clientes.

O homem foi preso na tarde de ontem em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, após um morador relatar à Polícia Militar ter sido ameaçado por ele.

No momento da prisão, Peixoto estava com uma farda da PM, réplicas de pistola e fuzil, um cassetete, um colete à prova de balas e um rádio transmissor. Ele foi conduzido por policiais militares à 59º Departamento de Polícia da cidade.

Procurada pelo UOL, a Polícia Civil informou que Rodrigo foi conduzido à delegacia por agentes e autuado por ameaça. Porém, a PC não esclareceu se ele foi, de fato, liberado. O caso será encaminhado ao Jecrim (Juizado Especial).

O influenciador disse que foi liberado, em publicação nas redes sociais (confira a íntegra do posicionamento abaixo).

Uber diz que homem não está mais na plataforma e PM nega relação

A Uber informou ao UOL que a conta do motorista está banida da plataforma e ele não dirige há mais de quatro meses pelo aplicativo. Apesar disso, Rodrigo publicou vídeos recentes em suas redes sociais simulando transportar passageiros.

Continua após a publicidade

"Não há qualquer relação entre o preso e a Polícia Militar", disse a PM em comunicado.

Versão da defesa do influenciador

A defesa de Peixoto, representada pelo escritório Luparelli & Nonato Advocacia, informou que o influenciador foi "conduzido à delegacia para prestar os devidos esclarecimentos e maiores averiguações acerca do material encontrado" com ele. O posicionamento foi divulgado pelo homem no Instagram nesta sexta-feira (20).

O influenciador negou ter sido preso em flagrante e que estaria utilizando a farda da PM no momento da abordagem dos agentes. O homem ainda apontou que foi liberado após prestar esclarecimentos sobre o material que estava em sua posse e comunicou que se mantém à disposição das autoridades.

Continua após a publicidade

A nota do influenciador, porém, não cita a autuação por agressão, conforme divulgado e confirmado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.

No mais, a intenção do humorista sempre foi levar ao público entretenimento e lamenta que tal atitude, mal-intencionada dos veículos de imprensa, tenham vinculado a sua imagem a postagens sem procedência.
Defesa de Rodrigo Peixoto, em nota

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes