Conteúdo publicado há 4 meses

Pastor e esposa são suspeitos de abusar de fiéis em GO; casal está foragido

A Polícia Civil de Goiás está em busca do pastor Vanderlei de Oliveira e da esposa dele, Maria de Lurdes dos Santos Oliveira. O casal é suspeito de abusar sexualmente de fiéis em uma igreja de Anápolis.

O que aconteceu:

O pastor e a esposa tiveram mandados de prisão preventiva expedidos na semana passada, mas, até esta sexta-feira (20), as autoridades goianas não conseguiram localizar os suspeitos, segundo a delegada Isabella Joy informou em coletiva de imprensa.

A polícia começou a investigar o casal no dia 2 de outubro, quando uma das vítimas procurou a delegacia para denunciar o abuso sofrido. Até o momento, os investigadores colheram depoimentos de nove vítimas, ente homens e mulheres. Há suspeitas de que os crimes eram praticados há pelo menos 10 anos, porque uma das vítimas disse ter sido abusada em 2013.

Conforme a investigação, o pastor dizia ser "pai espiritual" dos fiéis e usava a fé das vítimas para praticar os abusos, ao, supostamente, "incorporar um anjo". A esposa dele é suspeita de "confortar" os fiéis após os abusos, e garantir que eles não denunciassem o líder religioso. Ela não participava diretamente dos atos libidinosos, mas "apoiava" o marido.

Ele usava dessa vulnerabilidade dessas vítimas para cometer os atos libidinosos e ter conjunção carnal, inclusive alguns na frente da esposa. Delegada Isabella Joy

As vítimas do casal eram principalmente pessoas com problemas emocionais ou enfermidades, porque o pastor considerava "mais fácil" manipulá-las. Conforme a delegada, o líder religioso não tinha "um perfil de idade, de forma ou sexo". Ela também disse acreditar que existem outras vítimas, mas que elas estão com medo de denunciar.

O casal ludibriava as vítimas com um suposta "campanha de oração" em que Vanderlei "incorporava um anjo". O "anjo" dizia poder ajudar as vítimas a resolverem seus problemas, desde que elas adotassem um comportamento de submissão e cumprisse as ordens dadas pelo pastor.

A maioria das vítimas é do sexo feminino e as idades variam de 30, 60, 59 anos. A esposa do pastor estava presente durante alguns desses abusos. Delegada Isabella Joy

Ainda segundo a polícia, Vanderlei filmava os estupros e usava as gravações para ameaçar as vítimas que quisessem paralisar as "campanhas espirituais". Os abusos aconteciam em um "quarto de oração" da igreja e em uma casa — o suspeito liderava a Assembleia de Deus Ministério Bola de Fogo, no bairro Jardim das Américas, em Anápolis.

Continua após a publicidade

Uma das vítimas relatou à polícia que o pastor pediu fotos íntimas para uma "campanha espiritual" para que ela tivesse "sucesso" na vida, e depois teria dito que ela seria "amaldiçoada" se contasse sobre o ocorrido para alguém. Ela também afirmou que o pastor passou as mãos nas partes íntimas dela, a beijou e colocou seus seios na boca dele. Disse ainda que o pastor também tirou a virgindade dela à força.

Vanderlei e Maria de Lurdes vão responder pelos crimes de violação sexual mediante fraude e estupro. O UOL não conseguiu localizar a defesa do casal. O espaço segue aberto para manifestação.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes