PUBLICIDADE
Topo

Covas: Internações em leitos particulares não implicam evolução da pandemia

13 nov. 2020 - Bruno Covas (PSDB) conversa com a população durante visita ao Shopping Metrô Tucuruvi, na zona norte da capital - ROBERTO CASIMIRO/ESTADÃO CONTEÚDO
13 nov. 2020 - Bruno Covas (PSDB) conversa com a população durante visita ao Shopping Metrô Tucuruvi, na zona norte da capital Imagem: ROBERTO CASIMIRO/ESTADÃO CONTEÚDO

Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

17/11/2020 21h32

O prefeito Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição no segundo turno das eleições municipais, negou mais uma vez que São Paulo esteja passando por uma segunda onda de infecções causadas pelo novo coronavírus. Segundo ele, a pandemia não está evoluindo na cidade, mesmo com aumento do número de internações em hospitais particulares.

Não há nenhum indicador que aponte qualquer questão de segunda onda. O aumento de internações em hospitais de elite na cidade não reflete a evolução da pandemia em São Paulo."
Bruno Covas

Ontem, o candidato disse em entrevista ao UOL que a capital não vive uma segunda onda da pandemia de covid-19.

"É mais uma notícia produzida às vésperas das eleições para deixar as pessoas com medo, como se aqui a gente tivesse qualquer prazer particular em relação à quarentena", afirmou.

Segundo Covas afirmou hoje à reportagem, os aumentos, divulgados em notas de hospitais particulares, também são estimulados por pacientes que não moram em São Paulo.

"Tem muita gente de fora que é tratada nos hospitais particulares. Aqui nós temos uma rede hospitalar que atende rede de todo o estado, de todo o Brasil", afirmou o prefeito.]

O boletim epidemiológico municipal divulgado hoje apontou 385.216 casos confirmados de covid-19, um aumento de 11 mil novos diagnósticos desde a última terça (10).

Quarentena

Covas negou também que o adiamento da atualização o Plano São Paulo até o final do mês, após o segundo turno das eleições, tenha qualquer coisa a ver com a campanha e disse que os números de São Paulo são divulgados com transparência.

A gente tem muita tranquilidade. A prefeitura tem total transparência dos seus dados. Desde o início da pandemia não houve qualquer tipo de ação eleitoral em cima desses números."
Bruno Covas

O candidato foi questionado pelo UOL após declaração de seu adversário no pleito, Guilherme Boulos (PSOL), declarar que é no "mínimo muito suspeito" o adiamento, pelo governo do estado, da atualização do Plano São Paulo.

Nesta semana, o Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, fez um alerta para o aumento de internações por covid-19 verificado nos últimos dias, além do crescimento no número de testes realizados e nos diagnósticos positivos para a doença. Na quinta-feira (12), o governo paulista havia negado o crescimento nas internações.

Depois, contudo, o governador João Doria (PSDB) afirmou que o dado ainda precisa ser analisado em conjunto com estatísticas de novos casos e mortes, que são fornecidas pelo Ministério da Saúde e tiveram um problema de atualização na semana do primeiro turno das eleições por causa de uma falha no sistema da pasta federal.

"Pelos indicadores disponíveis, a maioria [das regiões de São Paulo] seria promovida para a fase verde. Porém, indicadores de leitos de UTI e internações, sob responsabilidade do governo de São Paulo, cresceram em relação à semana anterior. O momento requer precaução para uma análise mais completa. Cautela e cuidado", completou o governador.