PUBLICIDADE
Topo

Após reeleição de Covas, Doria sai da sombra e diz que vitória é do PSDB

Prefeito reeleito de São Paulo Bruno Covas (PSDB) comemoram vitória com com o Governador João Dória (PSDB) no comitê de campanha - Reinaldo Canato/UOL
Prefeito reeleito de São Paulo Bruno Covas (PSDB) comemoram vitória com com o Governador João Dória (PSDB) no comitê de campanha Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

29/11/2020 21h47

Até então sumido na disputa, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), teve destaque no evento para comemorar a vitória de Bruno Covas (PSDB), reeleito prefeito da capital paulista. O tucano chegou junto ao prefeito no diretório municipal na noite deste domingo (29) e fez um discurso pregando união e declarando vitória do PSDB.

Durante a campanha, Covas buscou não destacar a o nome de Doria, com quem compôs a chapa à prefeitura como vice 2016, mas sempre negou escondê-lo. Na vitória, o governador reaparece com um discurso com abrangência nacional.

"O PSDB foi de fato o grande vencedor das eleições no estado [de São Paulo]. Quase metade de todo eleitorado votou no PSDB. O domínio de quase todas as cidades. A nível nacional o partido que reuniu o maior número de eleitores votando PSDB", declarou o governador, considerável presidenciável em 2022.

A fala de Doria durou cerca de nove minutos, mais que os sete minutos da fala do próprio Covas.

Covas já havia negado que esconde o atual governador. Durante a campanha, repetiu diversas vezes que "o debate deveria ser sobre São Paulo" e cutucou os adversários sobre a presença de padrinhos na disputa.

"Quem não tem o que mostrar na cidade, realmente só tem que mostrar padrinho político. Eu tenho o que mostrar e, no momento apropriado, o governador vai fazer parte do meu horário eleitoral", declarou o prefeito em entrevista à Rede Globo em outubro.

Doria participou ativamente da eleição apenas em dois momentos: nos dois dias da votação. No primeiro turno e neste domingo, Covas seguiu o mesmo ritual: votou com a ex-prefeita e ex-petista Marta Suplicy (Solidariedade), com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e com o governador Doria.

Articuladores veem dessa uma vitória também de Doria, que, apesar ter se ligado ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em 2018, rompeu com o Planalto desde 2019 e é um dos nomes cotados às eleições de 2022 - e isso estava presente em seu discurso.

"Essa é a grande política que nós aplicamos e vamos continuar acreditando para um novo Brasil. Foi vitória do equilíbrio. Bruno foi meu sucessor. Conduziu com eficiência, foco, compromisso das realizações que nós dois estabelecemos", declarou Doria em uma fala muito mais voltada ao centro do que sua campanha ao estado em 2018.

Ao comemorar, Doria falou de três vitórias do PSDB em São Paulo nos últimos quatro anos: 2016, 2018 e 2020. Além de Covas, ele incluiu as suas candidaturas a prefeito em 2016, eleito em primeiro turno, e a governador em 2018, que, embora tenha ganhado no estado, perdeu na capital para Márcio França (PSB). Para governador, na cidade, o último tucano a ganhar foi Geraldo Alckmin na reeleição em 2014.

Este ano, o PSDB conquistou 521 prefeituras em todo Brasil, ficando em quarto lugar no ranking de partidos. No estado de São Paulo, o partido lidera com 172.