PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Moro autoriza envio da Força Nacional para Moçambique

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

29/03/2019 08h47Atualizada em 29/03/2019 09h51

Integrantes da Força Nacional de Segurança vão a Moçambique para prestar assistência após o ciclone Idai ter devastado parte do país africano. A autorização para a ida de membros da equipe de busca e salvamento foi publicada em portaria assinada pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, e publicada na edição de hoje do DOU (Diário Oficial da União).

Com ventos de cerca de 170 km/h, o ciclone provocou inundações na cidade portuária de Beira, a segunda maior do país, há duas semanas. Segundo as autoridades de Moçambique, são registrados 468 mortos e cerca de 1.500 pessoas feridas.

Ao menos 20 integrantes da Força Nacional, com veículos e equipamentos, serão deslocados para Beira hoje à noite, embarcando no aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, em avião da FAB (Força Área Brasileira). Essa é a primeira atuação da Força no exterior.

O Ministério das Relações Exteriores havia consultado Moro sobre a viabilidade do envio dos membros "para apoio em ação humanitária".

Equipe da Força Nacional embarca nesta sexta rumo a Moçambique - Divulgação/Força Nacional - Divulgação/Força Nacional
Equipe da Força Nacional embarca nesta sexta rumo a Moçambique; eles se reuniram em Brasília antes de seguir para Belo Horizonte para a viagem internacional
Imagem: Divulgação/Força Nacional

Moçambique já encerrou as ações de resgate e agora se concentra em buscas, ação que contará com o apoio do Brasil. Os enviados brasileiros são especialistas em "busca e salvamento, botes e outros equipamentos adaptados ao tipo de desastre que ocorreu naquele país", disse o Itamaraty.

A equipe deve atuar no local por 30 dias, com prazo contando a partir de hoje. Os trabalhos, porém, começam no domingo (31). O período, porém, poderá ser prorrogado.

Essa não é a única ajuda que o Brasil presta a Moçambique após a passagem do ciclone. Uma equipe de 20 bombeiros que atuaram nos trabalhos de buscas na tragédia em Brumadinho (MG) também viaja ao país africano hoje.

Já o ministério da Saúde enviou medicamentos para o atendimento de até 9.000 pessoas por um mês.

Além de Moçambique, o ciclone também atingiu outros dois países africanos: Zimbábue e Maláui. No total, o número de mortos nas três nações passa de 700.

Moçambique confirma casos de cólera após ciclone

Band Notí­cias

Internacional