PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Conteúdo publicado há
7 meses

Antes de ser eleito, Biden anuncia que EUA voltarão ao Acordo de Paris

O candidato democrata à presidência, Joe Biden, faz pronunciamento em Wilmington, Delaware, enquanto os votos ainda estavam sendo contados em uma disputa acirrada contra o atual presidente Donald Trump - Drew Angerer/ Getty Images/ AFP
O candidato democrata à presidência, Joe Biden, faz pronunciamento em Wilmington, Delaware, enquanto os votos ainda estavam sendo contados em uma disputa acirrada contra o atual presidente Donald Trump Imagem: Drew Angerer/ Getty Images/ AFP

Do UOL, em São Paulo*

04/11/2020 22h40

Mesmo antes de ser eleito presidente, o democrata Joe Biden anunciou na noite de hoje que os Estados Unidos voltarão ao Acordo de Paris, tratado no âmbito sobre a mudança do clima. O objetivo do acordo, que reúne países e rege medidas de redução de emissão de gases estufa a partir de 2020, é o de conter o aquecimento global.

"Hoje, a administração Trump deixou oficialmente o Acordo Climático de Paris. E em exatamente 77 dias, o governo Biden se reunirá a ele", anunciou o democrata, referindo-se ao dia 21 de janeiro de 2021, que é data quando se inicia o mandato do próximo presidente dos Estados Unidos.

Os Estados Unidos abandonaram oficialmente o Acordo de Paris sobre o clima durante a madrugada desta quarta-feira (4). A saída do país do tratado havia sido anunciada há mais de três anos por Donald Trump, mas ocorre em um momento de incerteza sobre quem ocupará a Casa Branca a partir de janeiro de 2021.

Rival do republicano, o democrata Joe Biden já havia prometido reintegrar a nação ao tratado caso seja eleito. Uma de suas propostas, inclusive, é um plano de US$ 1,7 trilhão para que os Estados Unidos alcancem uma marca de zero emissão de carbono em 2050.

Trump anunciou sua intenção de deixar o Acordo de Paris em junho de 2017, alegando que ele prejudicaria a economia americana. O magnata, porém, só notificou a Organização das Nações Unidas (ONU) e confirmou a saída do tratado contra as mudanças climáticas no dia 4 de novembro de 2019.

No tratado, criado em 2015 sob a administração de Barack Obama, o governo americano havia se comprometido a diminuir as emissões de carbono do país entre 26% e 28% até 2025.

*Com informações da agência ANSA

Os Estados Unidos não têm um órgão oficial que divulga, em tempo real, os resultados das urnas, como o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no Brasil. Por isso, as agências de notícias e veículos de comunicação como AFP, AP e Fox fazem extrapolações estatísticas e apontam os vencedores por estado. A AFP chegou a considerar definida a apuração do Arizona — e Joe Biden somava mais 11 votos até a manhã desta quinta-feira (5). A contagem de votos continua no estado.

Eleições Americanas