PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Conteúdo publicado há
10 meses

Biden: 'Já vencemos em estados o suficiente para ganhar 270 delegados'

Do UOL, em São Paulo

04/11/2020 18h18Atualizada em 05/11/2020 13h12

O candidato democrata Joe Biden afirmou hoje que já possui votos o suficiente nos estados para garantir 270 delegados nas eleições dos Estados Unidos — a quantidade é a mínima necessária para determinar o vencedor da campanha presidencial. Por volta das 18h20 (horário de Brasília), ele teve mais uma vitória em um estado-chave, Michigan, e atingiu 253 votos do Colégio Eleitoral, restando apenas 17 delegados para atingir os 270.

A apuração foi feita pela CNN e confirmada pela agência AFP e pela Fox News. Em entrevista coletiva, Biden disse que ainda não estava declarando vitória, mas que acreditava vencer assim que a contagem chegasse ao fim.

É a vontade do povo que estabelece quem será o presidente dos Estados Unidos e agora, depois de uma longa vantagem, está claro que já ganhamos em estados o suficiente para garantir 270 delegados
Joe Biden

Agora, segundo a contagem da agência AFP, Biden conta com 253 votos do Colégio Eleitoral contra 214 do atual presidente Donald Trump.

Só três campanhas presidenciais na história venceram um presidente no cargo. Uma conquista e tanto
Joe Biden

Mais cedo, Biden também saiu vitorioso em Wisconsin, de acordo com resultados apontados pela AP, AFP, o jornal "New York Times" e a rede de TV americana CNN. Os veículos apontam que o candidato democrata lidera a apuração em mais dois estados-chave: Arizona e Nevada.

Se confirmar as vitórias nessas federações, ele terá os 270 votos dos delegados necessários para ser eleito. As agências AFP, AP e o canal de TV FOX, dos Estados Unidos, já dão vitória para Biden no Arizona, de acordo com suas projeções matemáticas.

Me parece que nós ganhamos com a maioria dos votos do povo e parece que a maioria vai inflar ainda mais com a contagem a ser concluída. Senadora Harris e eu estamos a caminho de mais votos do que já previsto na história desse país na corrida presidencial. Mais de 7 milhões
Joe Biden

Trump soma 214 votos no Colégio Eleitoral, mas lidera na apuração de Geórgia (16 votos), Carolina do Norte (15 votos) e Pensilvânia (20 votos). Caso vença, o republicano somará contagem insuficiente para ganhar as eleições.

Discurso de união

Mesmo afirmando não realizar um "discurso de vitória", o candidato democrata pediu a união entre os eleitores dos EUA e afirmou ser momento de "voltar a ouvir, respeitar e se preocupar uns com os outros".

Isso não será minha vitória ou a nossa vitória, será uma vitória para o povo americano, para a democracia, para os EUA. Não haverá estados azuis ou vermelhos, apenas os Estados Unidos da América
Joe Biden

Como funciona o sistema eleitoral nos EUA?

No sistema eleitoral americano, os 538 votos do Colégio Eleitoral — ou 538 "delegados" — determinam quem será o presidente. Esses 538 votos são distribuídos entre os estados, de forma proporcional, considerando a população de cada um deles. Ganha quem alcançar 270 delegados.

O candidato que ganhar a eleição popular dentro do estado leva todos os votos dele no Colégio Eleitoral — com exceção do Maine e de Nebrasca, que dividem seus votos de acordo com os distritos regionais.

Os Estados Unidos não têm um órgão oficial que divulga, em tempo real, os resultados das urnas, como o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no Brasil. Por isso, as agências de notícias e veículos de comunicação como AFP, AP e Fox fazem extrapolações estatísticas e apontam os vencedores por estado. A AFP chegou a considerar definida a apuração do Arizona — e Joe Biden somava mais 11 votos até a manhã desta quinta-feira (5). A contagem de votos continua no estado.

Trump pede recontagem em estados decisivos

A campanha de Trump anunciou mais cedo que pedirá recontagem de votos nos estados de Wisconsin e Michigan, onde Biden liderava a apuração com ligeira vantagem de votos. No primeiro, a vitória do democrata foi confirmada pela Associated Press por volta das 16h20 (horário de Brasília), por 49,4% a 48,8%. Já no segundo, os índices eram de 49,5% e 48%, respectivamente, no mesmo horário.

Como a diferença entre Biden e Trump é menor que um ponto percentual, o presidente pode pedir uma recontagem de votos.

Mais tarde, a campanha republicana também anunciou que também acionará judicialmente a apuração na Pensilvânia — onde Trump lidera.

Os questionamentos quanto à contagem dos votos tiveram início já na madrugada de hoje. Trump chegou a fazer um pronunciamento na Casa Branca e se autodeclarar vencedor das eleições, embora ainda não houvesse confirmação. Ele também disse que recorreria à Suprema Corte para interromper a contagem de votos.

"Não queremos que encontrem votos às 4 horas da manhã para acrescentar à lista", afirmou, referindo-se aos votos enviados pelo correio. A campanha de Joe Biden reagiu, afirmando que as declarações do republicano são "ultrajantes e sem precedentes".

Pela manhã, Trump voltou a levantar suspeitas de fraude — sem apresentar provas — sobre a contagem dos votos. Em mensagem publicada em uma rede social, o presidente classificou como "muito estranha" a forma como Biden tem avançado e que sua vantagem sobre o democrata começou a desaparecer "magicamente".

Pouco após a publicação, o Twitter colocou um alerta na publicação do republicando, dizendo que a mensagem contém dados "contestáveis" e que pode ter "informações incorretas".

Wisconsin e Michigan são considerados estados fundamentais na corrida presidencial.

Eleições Americanas