PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Conteúdo publicado há
11 meses

Biden vence em Michigan, amplia vantagem sobre Trump e adota tom otimista

Do UOL, em São Paulo

04/11/2020 18h30Atualizada em 05/11/2020 13h11

O democrata Joe Biden teve mais uma vitória em um estado-chave para definir as eleições presidenciais americanas. Segundo apurações da agência AFP, do jornal The New York Times e das redes de TV americanas CNN e Fox News, Biden venceu a votação popular em Michigan, o que o coloca com 253 votos do Colégio Eleitoral.

Restam, assim, 17 delegados para chegar a 270 e confirmar o triunfo sobre o atual presidente, o republicano Donald Trump, que permanece com 214 votos.

As agências AFP, AP e o canal de TV Fox News já dão vitória para Biden no Arizona, de acordo com suas projeções matemáticas. Segundo a contagem da agência AFP, Biden conta com 264 votos do Colégio Eleitoral contra 214 de Trump.

Em entrevista coletiva, Biden disse que ainda não estava declarando vitória, mas que acreditava vencer assim que a contagem chegasse ao fim.

É a vontade do povo que estabelece quem será o presidente dos Estados Unidos e agora, depois de uma longa vantagem, está claro que já ganhamos em estados o suficiente para ganhar 270 delegados."
Joe Biden

Biden também lidera (e as projeções na imprensa americana apontam vitória) no Arizona e Nevada. Já Trump está em primeiro na Geórgia, Pensilvânia e Carolina do Norte.

Só três campanhas presidenciais na história venceram um presidente no cargo. Uma conquista e tanto
Joe Biden

No Twitter, o democrata reforçou a sua confiança na vitória e disse que os americanos têm que parar de tratar seus "adversários" como "inimigos", já projetando o ambiente tenso que se seguirá à confirmação do triunfo sobre Trump.

Assim que esta eleição acabar e ficar para trás, será hora de fazermos o que sempre fizemos como americanos: deixar a retórica dura da campanha para trás.
Joe Biden

Trump pedirá recontagem dos votos

A campanha do presidente Donald Trump anunciou hoje que pedirá recontagem de votos nos estados de Wisconsin e Michigan e que entrará com ação judicial contra o processo eleitoral no estado da Pensilvânia, com o objetivo de suspender a contagem de votos.

Em Wisconsin, a vitória de Joe Biden foi confirmada pelas agências AP e AFP, o jornal "New York Times" e a rede de TV americana CNN, na tarde de hoje — com 99% das urnas apuradas, o democrata aparece com 49,6% dos votos contra 48,9% de Trump. Como a diferença entre Biden e Trump é menor que um ponto percentual, o presidente pode pedir uma recontagem de votos.

No sistema eleitoral americano, os 538 votos do Colégio Eleitoral — ou 538 "delegados" — determinam quem será o presidente. Esses 538 votos são distribuídos entre os estados, de forma proporcional, considerando a população de cada um deles. Ganha quem alcançar 270 delegados. O candidato que ganhar a eleição popular dentro do estado leva todos os votos dele no Colégio Eleitoral — com exceção do Maine e de Nebrasca, que dividem seus votos de acordo com os distritos regionais.

Biden também venceu recentemente no estado de Wisconsin, de acordo com resultados apontados pela AP, AFP, o jornal New York Times e a CNN. Com 99% das urnas apuradas, Biden aparece com 49,6% dos votos contra 48,9% de Trump.

Os Estados Unidos não têm um órgão oficial que divulga, em tempo real, os resultados das urnas, como o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no Brasil. Por isso, as agências de notícias e veículos de comunicação como AFP, AP e Fox fazem extrapolações estatísticas e apontam os vencedores por estado. A AFP chegou a considerar definida a apuração do Arizona — e Joe Biden somava mais 11 votos até a manhã desta quinta-feira (5). A contagem de votos continua no estado.

Eleições Americanas