PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Esse conteúdo é antigo

Morre William Shakespeare, 1º homem britânico a ser vacinado contra covid

Homônimo do dramaturgo elogiou a equipe de vacinação, e disse estar "satisfeito" com a dose - Jacob King/Pool via Reuters
Homônimo do dramaturgo elogiou a equipe de vacinação, e disse estar "satisfeito" com a dose Imagem: Jacob King/Pool via Reuters

Colaboração para o UOL em São paulo

25/05/2021 13h15Atualizada em 25/05/2021 13h40

William Shakespeare, de 81 anos, que ganhou fama como primeiro homem britânico a ser vacinado contra a covid-19, ainda em dezembro de 2020, morreu na quinta-feira (20). A causa ainda não foi revelada, mas se sabe que a doença não está relacionada com o coronavírus, conforme relatou a BBC, hoje.

O inglês recebeu a vacina da Pfizer-BioNTech pouco depois de Margaret Keenan, de 91 anos, no Reino Unido, a primeira pessoa no país a ser imunizada.

Jayne Innes, conselheira do Hospital da Universidade de Coventry, disse à época que "a melhor homenagem a Bill é receber a injeção".

Shakespeare deixa para trás sua esposa e dois filhos.

O Reino Unido foi o primeiro Estado ocidental a autorizar o uso de uma vacina contra a covid-19. A China já imunizava sua população há alguns meses, com uso emergencial de imunizantes. Já a Rússia havia iniciado antes do Reino Unido a vacinação com a Sputnik, à época ainda em fase de testes.

Homônimo de um dos maiores autores da História, e certamente um dos mais relevantes da Inglaterra, William Shakespeare foi batizado em homenagem ao escritor, morto em 1616 no dia de seu aniversário, mais uma razão para ter ficado famoso ao ser imunizado.

"Pode fazer diferença em nossas vidas de agora em diante. Isso vai começar a mudar nossas vidas e nosso estilo de vida", disse Shakespeare, logo após ser vacinado em 8 dezembro.

Seu nome ganhou as manchetes globais, após seu país se tornar o primeiro a autorizar o uso de uma vacina na população de risco, categoria que englobava pessoas com idade avançada como Shakespeare.

Internacional