Conteúdo publicado há 1 mês

Ataque israelense mata 11 em tenda para refugiados em Rafah, diz Hamas

Pelo menos 11 palestinos foram mortos em um ataque aéreo israelense em Rafah, diz o Hamas.

O que aconteceu

O ataque aconteceu em uma tenda perto de um hospital em Tel Al-Sultan. O local era considerado seguro por quem buscava refúgio, segundo o Ministério da Saúde de Gaza.

Um dos mortos é médico do hospital. Outras 50 pessoas ficaram feridas.

Mais de 1 milhão de palestinos têm buscado refúgio na área de Rafah, fugindo dos ataques israelenses que devastaram grande parte de Gaza. Autoridades dizem que 30 mil palestinos já morreram desde o início da guerra.

Um dos sobreviventes afirmou à Reuters que está vivo por um milagre. "O ataque atingiu diretamente a tenda onde as pessoas se abrigavam. Estilhaços entraram no hospital onde eu e meus amigos estávamos sentados, sobrevivemos por um milagre".

Israel ainda não comentou o ataque.

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que espera que um cessar-fogo esteja em vigor até o Ramadã, que começa em 10 de março. Falando a jornalistas na sexta-feira, Biden disse: "Ainda não chegamos lá".

Israel intensifica ataques em Gaza

Na quinta (29), Israel lançou um ataque contra palestinos que faziam fila para receber ajuda humanitária.

Continua após a publicidade

Segundo o Hamas, 115 pessoas foram mortas no que chamou de "massacre". Israel contesta o número e diz que a maioria das vítimas foi pisoteada ou atropelada.

Neste sábado, três pessoas que buscavam alimentos em terras agrícolas na área de Beit Hanoun, no norte de Gaza, foram mortas em ataques israelenses, relataram moradores e médicos.

A pressão internacional por um cessar-fogo aumentou desde o ataque de quinta. A ONU alerta que um quarto da população de 2,3 milhões de pessoas de Gaza está a um passo da fome no território massacrado por Israel.

Negociação de cessar-fogo

Uma delegação do Hamas visita hoje o Cairo para participar nas negociações sobre uma possível trégua na Faixa de Gaza, disse à AFP uma fonte familiarizada com o assunto. A guerra com Israel dura cinco meses.

Catar, Egito e Estados Unidos estão tentando chegar a um acordo entre o Hamas e Israel que inclua uma trégua de seis semanas. Também está prevista a libertação de reféns em troca da libertação de prisioneiros palestinos detidos por Israel.

Continua após a publicidade

No início desta semana, uma fonte próxima do movimento palestino disse que o Hamas propôs libertar um refém por dia em troca de dez prisioneiros palestinos, durante 42 dias.

*Com informações de Reuters e AFP

Deixe seu comentário

Só para assinantes