Topo

Filha diz que hipócritas difamam Chico Mendes e chama ministro de "leviano"

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em Maceió

12/02/2019 19h10Atualizada em 12/02/2019 20h24

A fala do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, no programa Roda Viva de ontem, em que classificou o ambientalista Chico Mendes como "irrelevante", causou indignação à filha do seringueiro, Elenira Mendes. Em entrevista ao UOL hoje, ela afirmou que o ministro foi "leviano" ao fazer o comentário sobre o seu pai e disse que "hipócritas" difamam a história de luta ambiental do seu pai.

"Meu pai lutou e morreu defendendo essa causa, não obteve dividendos políticos muito menos financeiros, não deixou seus companheiros ou sua família rica, sua causa era exclusivamente em prol dos seringueiros e da Amazônia", declarou Elenira, que recentemente realizou o sonho do pai e se formou em direito no Acre.

"O único oportunismo que ainda rege em nosso país é o desenvolvimento e progresso' em várias esferas que continuam ceifando vidas e famílias."

A fala [do ministro] é o retrato de onde está o meio ambiente do nosso país hoje
Elenira Mendes, filha de Chico Mendes

Salles comentou e questionou no programa da TV Cultura "que diferença faz quem é o Chico Mendes nesse momento?", ao ouvir uma pergunta sobre o seringueiro.

"Eu escuto histórias de todo o lado. Do lado dos ambientalistas, mais ligados à esquerda, um enaltecimento do Chico Mendes. As pessoas que são do agro, da região, dizem: olha, o Chico Mendes não era isso que é contado", afirmou, citando em seguida que as pessoas do agronegócio afirmaram que Chico Mendes "usava os seringueiros para se beneficiar, fazia uma manipulação da opinião ali."

AP
Seringueiro Chico Mendes Imagem: AP
A filha de Mendes lamentou que "hipócritas" falem sobre seu pai "ao ponto de querer atingir o caráter de um homem em busca de mudar uma história." Ela ainda fez uma analogia ao momento histórico do país nos anos 1980 e o atual.

"Hoje é muito fácil lutar por uma causa e atingir milhões de pessoas com as redes sociais. Há 30 anos era quase impossível. O que meu pai fez, o que os seringueiros realizaram, ficará marcado na história", afirma.

A reportagem também procurou a viúva do seringueiro, Ilzamar Mendes, mas ela informou que estava viajando e não tinha visto ainda a entrevista do ministro para comentar. 

Em tweet no início da noite de hoje, o ministro criticou a interpretação dada por setores da esquerda à fala dele no programa.

"No campo dos esquerdopatas tudo é pretexto para não trabalhar. Quando disse que não achava relevante ficar discutindo opinião sobre Chico Mendes era justamente para evitar gastar energia com coisas improdutivas", escreveu.

Chico Mendes foi morto pelo fazendeiro Darly Alves da Silva e seu filho no dia 20 de dezembro de 1988, quando foi aos fundos de sua casa, em Xapuri, no interior do Acre.