Topo

Ipaam multa sítio em R$ 4 milhões por desmatar área de 38 campos de futebol

Do UOL, em São Paulo

24/08/2019 10h20

O Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas) aplicou ontem uma multa no valor de aproximadamente R$ 4 milhões por desmatamento ilegal em Apuí (453 km de Manaus). De acordo com o auto de infração, foram destruídos ou danificados 27,17 hectares de floresta em área de preservação permanente sem autorização do órgão. A área equivale a 38 campos de futebol.

O Ipaam solicitou também a suspensão imediata das atividades em área da Reserva Legal desmatada irregularmente. Além da multa de R$ 4 milhões, o infrator, proprietário de um sítio, deverá pagar ao Fema (Fundo Estadual de Meio Ambiente) o valor de R$ 2,22 milhões para a reposição florestal.

O infrator, segundo o órgão ambiental, tem prazo de 20 dias para pagar a multa e apresentar defesa.

"Em uma semana, os responsáveis por desmatar 99.869,8 hectares (quase 140 campos de futebol) no sul do estado e na região metropolitana de Manaus já foram identificados pelo Ipaam. Agora, vamos começar a lavrar os autos de infrações e os termos de apreensão, embargo e interdição desses locais", disse o diretor-presidente do órgão, Juliano Valente.

Nova metodologia

Essa multa é o primeiro resultado da nova metodologia geotecnológica utilizada pelo Ipaam para identificar queimadas e desmatamentos ilegais, permitindo autuar os infratores sem a necessidade de operação em campo.

Para isso, o órgão cria um cenário onde é possível identificar e mapear as áreas onde ocorrem esses crimes. O instituto utiliza as bases de dados georreferenciadas de diversos órgãos públicos para obter as informações sobre os infratores e suas propriedades rurais.

Estado de emergência por causa das queimadas

O Amazonas foi o primeiro estado da região Norte a decretar situação de emergência por causa do impacto negativo do desmatamento ilegal e de queimadas não autorizadas. O decreto foi assinado em 2 de agosto, quando os dados começaram a indicar tendência de crescimento dos focos de calor, e permite ao governo maior eficiência na execução das ações de controle.

Um gabinete de crise foi formado para fortalecer as operações em campo e o trabalho de conscientização. Estão sendo realizadas também formações de brigadistas voluntários nos municípios do interior do estado.

Bolsonaro fala sobre queimadas na Amazônia e evoca soberania nacional

UOL Notícias

Mais Meio Ambiente