PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro prorroga uso das Forças Armadas na proteção da Amazônia

A decisão do presidente veio por meio de um decreto publicado ontem, o último dia das Forças Armadas na região, no Diário Oficial da União - Gustavo Basso/NurPhoto via Getty Images
A decisão do presidente veio por meio de um decreto publicado ontem, o último dia das Forças Armadas na região, no Diário Oficial da União Imagem: Gustavo Basso/NurPhoto via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

11/06/2020 07h45

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) prorrogou por mais um mês o uso das Forças Armadas (FA) na proteção de áreas indígenas, unidades federais de conservação ambiental e outras áreas de proteção federal localizadas nos estados da Amazônia Legal.

A decisão do presidente veio por meio de um decreto publicado ontem, o último dia das Forças Armadas na região, no Diário Oficial da União (DOU). Com a medida, as Forças Armadas permanecem na Amazônia Legal até o dia 10 de julho.

O decreto prorroga uma decisão publicada no dia 7 de maio no DOU em que ficou definido a atuação das FA do dia 11 de maio até ontem na região. A medida definiu que as Forças Armadas atuarão no combate ao desmatamento ilegal e focos de incêndio.

A Amazônia Legal é uma área que engloba os nove estados que fazem parte da bacia do Rio Amazonas, sendo eles: Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão (apenas uma parte), Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Ontem, o Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) divulgou uma revisão dos dados do Prodes sobre o desmatamento da Amazônia entre agosto de 2018 e julho de 2019.

Em novembro do ano passado, o Prodes indicava um desmatamento de 9.762 km² na região. A revisão do Inpe, feita por meio de imagens via satélite, corrigiu o número para 10.129 km².

Meio Ambiente