PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Conteúdo publicado há
15 dias

Atual governo fez do Brasil 'um pária ambiental', dizem ex-ministros

Do UOL, em São Paulo

22/04/2021 13h29

Em artigo publicado hoje no jornal britânico The Guardian, os ex-ministros do Meio Ambiente do Brasil Marina Silva e Rubens Ricupero afirmaram que o desmatamento na Amazônia "não é resultado de falta de dinheiro, mas consequência do descuido deliberado do governo" do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que "transformou o país em um pária ambiental".

Os ex-ministros citam conversas que vem acontecendo entre o governo norte-americano e o brasileiro sobre os recursos para reduzir o desmatamento na região. Segundo eles, o atual ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, "está pedindo uma parcela anual de US$ 1 bilhão - em troca, diz ele, o desmatamento do Brasil seria reduzido entre 30% e 40%".

"Para o governo brasileiro, presidido pelo cético Jair Bolsonaro, a promessa de voltar aos acordos de Paris soou como uma ameaça, ainda mais porque foi seguida por uma promessa feita durante um dos debates de mobilizar US$ 20 bilhões em fundos internacionais para florestas tropicais - inclusive para o Brasil - para impedir a destruição da Amazônia. Bolsonaro reagiu chamando os planos de 'ameaças covardes'", diz um trecho do artigo.

No texto, eles afirmam ainda que o "atual governo brasileiro transformou o país em um pária ambiental" e o que falta ao governo brasileiro para reduzir o desmatamento "não é dinheiro, mas um compromisso com a verdade".

"[Bolsonaro] Ele negou a existência de incêndios na Amazônia enquanto as chamas estavam queimando. As notícias brasileiras estão saturadas de escândalos que mostram ações governamentais persistentes para enfraquecer os órgãos ambientais, reverter a legislação e ignorar acordos internacionais", escrevem.

Ricupero foi ministro do Meio Ambiente no governo do ex-presidente Itamar Franco, entre 1993 e 1994. Já Marina comandou a pasta no primeiro governo do ex-presidente Lula, de 2003 a 2008.

A publicação do artigo — intitulado "Os bilhões de Joe Biden não vão evitar que a floresta Amazônica seja destruída" — acontece no primeiro dia da Cúpula de Líderes sobre o Clima, organizada pelos Estados Unidos, para discutir metas para o meio ambiente. A reunião com 40 líderes mundiais acontece hoje e amanhã.

O presidente Bolsonaro foi um dos 27 líderes que discursaram hoje. Ele afirmou que o Brasil está aberto à "cooperação internacional" na área ambiental e que o país buscará atingir a neutralidade climática (reduzir a zero o balanço das emissões de carbono) até 2050.

Meio Ambiente