Alan Marques/Folhapress

Processo de impeachment

Dilma diz que há 'conluio' para atrasar julgamento de Cunha

Do UOL, em São Paulo

  • Marcos Oliveira/Agência Senado

A presidente afastada, Dilma Rousseff, disse em resposta ao senador Lindbergh Farias (PT-RJ) que há um "conluio" para que o deputado afastado e ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não seja julgado pelo Conselho de Ética da Casa. Segundo Dilma, o julgamento "está sendo adiado para as calendas gregas".

"Como condenam uma pessoa inocente por três decretos e o Plano Safra e adiam o julgamento, criam um conluio para evitar este julgamento?", questionou Dilma, em alusão aos crimes de responsabilidade pelos quais é acusada na denúncia que pede seu impeachment.

Ela voltou a dizer que o processo contra ela é um "golpe" e uma "eleição indireta" para barrar um "projeto vitorioso nas urnas". Segundo Dilma, Cunha é o padrinho deste "golpe", com os demais apoiadores como coadjuvantes que emprestaram seu nome e sua credibilidade para o que chamou de "chantagem", "desvio de poder" e "tentativa de se furtar a investigações".

A presidente afastada disse que o governo interino de Michel Temer defende um programa "ultraliberal, ultraconservador" e "reacionário" diante do "conflito distributivo" proporcionado pela crise econômica e que não chegaria ao poder pelas urnas.

Acompanhe todos os detalhes do depoimento de Dilma no julgamento do impeachment em http://bit.ly/2bE5Gf5.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos