Lula não descumpriu ordem de prisão e ficará no sindicato, diz Gleisi

Mirthyani Bezerra

Do UOL, em São Bernardo do Campo (SP)

  • Janaína Garcia/UOL

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, afirmou na tarde desta sexta-feira (6) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não afrontou uma decisão judicial ao não se apresentar à Polícia Federal até o prazo estabelecido pelo juiz federal Sergio Moro.

"Moro deu a opção de ir a Curitiba. Lula não exerceu a opção. Vou ficar num lugar público, num lugar que é símbolo de luta, como é esse sindicato. Estamos aqui sob o olhar do mundo, não há que se falar em afronta de decisão judicial", disse a senadora petista.

Ela afirmou ainda que Lula se encontra em local "público e reconhecido". "Aquele juiz de Curitiba, o Sergio Moro, esse mesmo movido pelo ódio, deu ao presidente Lula a opção de ir a Curitiba. O presidente Lula disse não. Disse: 'Vou ficar em um lugar público, junto ao povo'. Está em São Bernardo do Campo, no Sindicato dos Metalúrgicos, lugar público e reconhecido."

Segundo a presidente do partido, o objetivo de Lula não era afrontar. "Mas não esperem que caminhemos de cabeça baixa para o brejo, como gado para o matadouro."

Gleisi afirmou que o ex-presidente recebeu o apoio de mais de 50 deputados federais e pessoas do meio cultural, artístico e religioso. "Tudo isso para mostrar para o Brasil que estamos ao lado da maior liderança popular que esse país já teve. É aqui que ficaremos. É aqui que o presidente está e é aqui que ficaremos, para mostrar ao Brasil que a gente sabe que tem que ter luta", afirmou Gleisi.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos