Topo

Bolsonaro tem "melhora clínica progressiva" e deixa unidade semi-intensiva

Marcela Leite e Luciana Amaral

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

2019-02-11T17:10:41

2019-02-11T21:21:19

11/02/2019 17h10Atualizada em 11/02/2019 21h21

Boletim médico divulgado na tarde desta segunda-feira (11) pelo Hospital Israelita Albert Einstein informou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) teve evolução, "com melhora clínica progressiva", e recebeu alta da Unidade de Terapia Semi-Intensiva. 

Segundo a nota, Bolsonaro não tem dor nem febre e apresenta melhora do quadro de pneumonia. A nutrição endovenosa foi suspensa, com introdução de dieta leve, mas mantido o suplemento nutricional.

Os exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e as caminhadas fora do quarto continuam. As visitas, porém, seguem restritas.

Em declaração à imprensa no Palácio do Planalto, o porta-voz da Presidência, general Otávio Santana Rêgo Barros, afirmou que Bolsonaro passou esta segunda "muito bem" e está "melhor a cada dia".

Embora as visitas continuem classificadas como restritas, hoje pela manhã, o presidente recebeu os ministros Sergio Moro (Justiça), general Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional). Depois, recebeu visitas de cortesia do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e do secretário de Segurança Pública do estado, general João Campos.

"Feliz em ver nosso presidente se recuperando", escreveu Doria em sua conta no Twitter.

Segundo Rêgo Barros, as visitas seguem restritas, mas, quando não são impeditivas do ponto de vista médico, é feita uma seleção de pessoas para falar com Bolsonaro. Ele informou que, para esta semana, não há previsão de novas agendas de ministros com o presidente.

No quarto, Bolsonaro ainda assinou autorização para que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, se ausente do país para participar da 1ª Conferência Humanitária do Governo Interino da Venezuela, em Washington, nos Estados Unidos, entre os dias 12 e 15 de fevereiro.

Além de ter se manifestado por meio de nota oficial e mensagem no Twitter sobre a morte do jornalista Ricardo Boechat em um acidente de helicóptero, Bolsonaro ligou para o presidente da Rede Bandeirantes, João Saad, a fim de prestar suas condolências, informou o porta-voz. "O presidente da República se solidariza ainda com a família do piloto morto no acidente, Ronaldo Quatrucci", disse.

Bolsonaro está internado desde o dia 27 de janeiro, quando foi submetido a uma cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia e de reconstrução do trânsito intestinal após ter sido esfaqueado durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG) em 6 de setembro de 2018.

Bolsonaro sobre Boechat: Passamos muitos momentos juntos

Band Notí­cias