Topo

Pontes diz que não pode "mandar no presidente" ao nomear cargos no Inpe

O ministro Marcos Pontes - DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO
O ministro Marcos Pontes Imagem: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL

23/08/2019 11h39

O ministro de Ciência e Tecnologia disse em entrevista ao programa "Em Foco", da GloboNews", que precisa "seguir a linha do governo" após ser questionado se Bolsonaro dá "carta branca" para ministros apenas se órgãos como o Inpe estiverem ideologicamente alinhados ao Executivo.

Pontes disse que teve carta branca para montar sua equipe no Ministério, mas que, no caso do Inpe, pôde apenas "sugerir coisas" e "não mandar no presidente".

"O que acontece nesse caso (Inpe) é que houve esse embate direto com Jair Bolsonaro. A gente tem que seguir a linha do governo. Não faz sentido eu estar dentro de um governo se eu trabalho para lá e o governo para cá. A gente tem que trabalhar juntos", declarou.

O Inpe, que faz parte do Ministério de Ciência e Tecnologia, esteve no centro de uma polêmica no início de agosto, quando o presidente Jair Bolsonaro contestou dados do instituto a respeito do desmatamento na Amazônia. Na ocasião, Bolsonaro exonerou o presidente do órgão indicado por Pontes, Ricardo Galvão.

O ministro disse ainda que, apesar da função do órgão ser "fornecer dados, fazer análise técnica, séria", o assunto dos desmatamentos cabe ao Ministério do Meio Ambiente, do colega Ricardo Salles.

A entrevista do ministro para o "Em Foco" foi antecipada pela jornalista Andrea Sadi em seu blog no G1, mas vai ao ar na próxima quarta (28), às 21h30, na Globo News.

Mais Política