Topo

Moro vê falta de ética em reportagem de revista sobre nora de Bolsonaro

Cláudio Reis/Estadão Conteúdo
Imagem: Cláudio Reis/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

14/09/2019 15h56Atualizada em 14/09/2019 18h48

O ministro da Justiça Sergio Moro usou o Twitter hoje para criticar reportagem da revista Época que mostrou detalhes sobre a atuação profissional da nora do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Heloísa Wolf Bolsonaro, casada com o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Em sua conta pessoal na rede social, Moro afirmou que é "um grande defensor da liberdade de expressão e de imprensa", mas que "a matéria em questão realmente ultrapassou certos limites éticos". Ele compartilhou uma publicação do general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Internacional, que também questionou a ética jornalística da publicação.

Heloísa atuava como 'coaching'

A revista Época publicou nesta sexta-feira (13) o relato do repórter João Saconi, que passou um mês como aluno de Heloísa. Segundo a reportagem, a psicóloga passou a cobrar R$ 1.350 pelo curso de "coaching" online depois de entrar formalmente para a família do presidente.

Sem saber que Saconi era jornalista, ela teria defendido a nomeação do marido como embaixador em Washington e comentado supostas irregularidades em financiamentos do BNDES. O repórter também afirma que recebeu de Heloísa a indicação para acompanhar veículos, blogs e personalidades que apoiam o bolsonarismo, como Terça Livre, Renova Mídia e Filipe G. Martins (assessor especial da Presidência para assuntos internacionais).

Eduardo diz que vai processar revista

Desde a manhã de sexta-feira, Eduardo Bolsonaro vem utilizando as redes sociais para manifestar sua indignação com a reportagem. O deputado afirmou que vai processar o veículo e o jornalista, por considerar criminosa a atitude deles na condução da reportagem.

Eduardo Bolsonaro e alguns de seus apoiadores usaram hashtags atacando a família que controla o Grupo Globo, do qual a revista Época faz parte. Alguns desses tópicos ficaram entre os cinco mais comentados do Twitter até a noite de sexta-feira.

10 vezes em que Eduardo Bolsonaro foi antidiplomático

UOL Notícias

Mais Política