PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro participará de solenidade de posse de Moraes em cargo no TSE

Alexandre de Moraes determinou ação com base em um inquérito que apura a disseminação de ofensas, ataques e ameaças contra ministros da corte e seus familiares - Divulgação/STF
Alexandre de Moraes determinou ação com base em um inquérito que apura a disseminação de ofensas, ataques e ameaças contra ministros da corte e seus familiares Imagem: Divulgação/STF

Do UOL, em São Paulo

01/06/2020 21h29

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participará amanhã, segundo agenda oficial, da solenidade de posse do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, no cargo de ministro efetivo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Bolsonaro estará ao lado de Braga Netto (ministro-chefe da Casa Civil), André Luiz de Almeida (ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública) e Jorge Antonio de Oliveira (ministro-chefe da Secretaria-Geral).

Ainda estarão no evento, que acontecerá no Palácio do Planalto entre 18h e 19h, Luiz Eduardo Ramos (ministro-chefe da Secretaria de Governo); e José Levi Mello do Amaral Júnior (Advogado-Geral da União).

Na semana passada, Bolsonaro fez diversas críticas a Moraes desde a realização de uma operação policial que teve como alvo parte de seus apoiadores na última quarta-feira (27), dizendo que o ato feria a "liberdade de expressão".

A operação foi deflagrada no chamado inquérito das fake news, comandado por Moraes no STF, para apurar ataques e ofensas aos ministros da corte, como o financiamento à propagação de notícias falsas

No final de semana, o grupo bolsonarista autodenominado "300 do Brasil" fez um protesto em frente ao STF depois de sua principal porta-voz, Sara Winter, ter sido alvo de mandado de busca e apreensão relacionado ao inquérito das fake news conduzido na Corte.

Com uma faixa onde se lia "300", o grupo marchava carregando tochas e alguns usavam máscaras que cobriam todo o rosto. Apesar do nome do grupo, o ato reunia poucas dezenas de pessoas.

Seguidos por Sara, os manifestantes gritavam palavras de ordem contra Alexandre de Moraes.

Política