PUBLICIDADE
Topo

Política

Cidadania avalia fusão com o PV para Huck em 2022, sem correr atrás da Rede

Cidadania está de olho em Luciano Huck como candidato à Presidência da República em 2022 - BEATRIZ ORLE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Cidadania está de olho em Luciano Huck como candidato à Presidência da República em 2022 Imagem: BEATRIZ ORLE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

09/02/2021 14h10

O partido Cidadania avalia se fundir com o PV (Partido Verde) para lançar o apresentador de TV Luciano Huck como candidato à Presidência da República em 2022. Segundo parlamentares do Cidadania ouvidos pela reportagem, o partido vem conversando com Huck para que se filie ao partido, onde seu nome tem ampla receptividade.

O PV é um partido que tem história, marca importante, princípios próximos ao nosso. Acho bem possível que trabalhemos para concretizar essa fusão. E, abriríamos espaço para aquilo que é nosso trabalho de uma candidatura majoritária à Presidência, que tem como principal foco trazer o Luciano Huck.
Alex Manente (SP), líder do Cidadania na Câmara

Uma possibilidade é que a Rede também se junte ao Cidadania e ao PV para a formação de um novo e mais forte partido contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que deverá tentar a reeleição.

No entanto, como a Rede não levou as tratativas adiante após as eleições de 2018, quando o assunto também foi discutido, o presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, diz que ele não pretende correr atrás da legenda.

A Rede deixou a gente na porta da igreja. Não vou mais procurá-los, mas não tem nenhum impedimento.
Roberto Freire, presidente nacional do Cidadania

Oficialmente, a Rede não fala em fusão com outras siglas. O porta-voz do partido, Pedro Ivo Batista, afirmou apenas que concorda com a necessidade de fazer parte de uma frente ampla contra Bolsonaro.

Batista disse ainda que a Rede ainda não decidiu se contará com um candidato próprio à Presidência da República em 2022. Se for o caso, ele contou que enxerga com bons olhos os nomes dos senadores Randolfe Rodrigues (AP) e Fabiano Contarato (ES), além da própria Marina Silva.

Acordo a médio prazo

Embora ainda estejam abertos ao diálogo com a Rede, a avaliação de parlamentares do Cidadania também é de que um acordo com o PV seja mais fácil de sair a médio prazo. Atualmente, não há outros partidos com os quais integrantes do Cidadania se identificam.

Acho excelente a fusão. Criaremos um grande e novo partido. Uma alternativa que o país precisa.
Eliziane Gama (Cidadania-MA), senadora

Outro que vem conversando com o Cidadania sobre uma eventual filiação é o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ele quer sair do DEM após parte da legenda decidir apoiar Arthur Lira (PP-AL) como seu sucessor no comando da Casa, e não Baleia Rossi (MDB-SP), como queria. Lira acabou vencendo o pleito.

A reportagem apurou, entretanto, que a eventual chegada de Maia não é aprovada por unanimidade.

Uma questão levantada é que o Cidadania está muito mais interessado em Huck do que no ex-presidente da Câmara. Huck preferiria que Maia fosse para outro partido para que possa compor uma chapa encabeçada pelo apresentador e agregar mais tempo de televisão, além de fundos partidários na campanha de 2022, informou um parlamentar.

Outro ponto, apurou o UOL, é que querem evitar uma briga de poder entre os dois dentro do Cidadania e rachar o partido ao longo do tempo.

Política