PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Malafaia chama Gilmar de negacionista da Constituição por restringir cultos

Imagem mostra o pastor Silas Malafaia durante audiência na Câmara - Agência Brasil
Imagem mostra o pastor Silas Malafaia durante audiência na Câmara Imagem: Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

08/04/2021 17h35

Líder da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, o pastor Silas Malafaia chamou o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes de "cara de pau" e "negacionista da Constituição" por restringir cultos religiosos durante a pandemia da covid-19.

O plenário da Corte iniciou o julgamento sobre a constitucionalidade dos decretos que fecharam templos e igrejas em meio à escalada do número de casos em decorrência da doença. O Supremo deve resolver o impasse após decisões conflitantes dos ministros Kassio Nunes Marques e Gilmar Mendes.

"A Constituição é para ser obedecida independentemente do estado em que se passa uma nação. Como é que o senhor, ministro Gilmar Mendes, se sente no direito de mudar uma 'Cláusula Pétrea', ou seja, ninguém pode mudar, nem mesmo o Congresso?! [Ele] Rasga [a Constituição] na maior cara de pau. O senhor é um 'negacionista da Constituição'. É o senhor quem apoiou esse absurdo contra o povo brasileiro", disse Malafaia, em tom alterado, no vídeo divulgado nas redes sociais.

No último sábado (4), Nunes Marques —que foi indicado à vaga para o tribunal pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), liberou os cultos presenciais. No domingo de Páscoa, vários templos abriram suas portas e alguns ficaram lotados, mesmo diante da gravidade da pandemia no Brasil.

Naquele dia, o Brasil registrava 1.233 óbitos apenas nas últimas 24h, segundo o consórcio de imprensa do qual o UOL faz parte. Já a taxa de ocupação em leitos de UTI em São Paulo era de 91,2%.

Na segunda-feira (5), o ministro Gilmar Mendes manteve o veto a cultos religiosos presenciais no estado de São Paulo. Ele negou ação do PSD que argumentava que o decreto baixado pelo governador do São Paulo, João Doria (PSDB-SP), proibindo celebrações com presença do público era inconstitucional por ferir a liberdade religiosa.

Após conflito nas duas decisões, Gilmar, então, acionou o caso para que o plenário do STF examinasse o tema "com urgência". O plenário iniciou o julgamento ontem e segue nesta quinta-feira. Gilmar Mendes, o relator, e Alexandre de Moraes votaram pelo fechamento dos templos. Kassio Nunes Marques votou pela abertura limitada a 25% da lotação e outras medidas de proteção contra a pandemia de coronavírus.

No vídeo, Malafaia centralizou os seus ataques principalmente em argumentos feitos por Gilmar Mendes.

"As suas falas, ministro Gilmar Mendes, eram uma vergonha, com mentiras e asneiras. O senhor tem a coragem de dizer que a igreja contamina mais do que qualquer outra atividade econômica em ambiente fechado?! É um absurdo. Debaixo de que pressuposto científico o senhor fala isso? Nenhum. É um cinismo vergonhoso", protestou o líder religioso.

Coronavírus