PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Covas vai se licenciar da prefeitura por 30 dias para tratar de câncer

Siga o UOL no

Leonardo Martins e Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

02/05/2021 17h04Atualizada em 02/05/2021 20h39

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), 41, vai se licenciar do cargo por 30 dias para se dedicar ao tratamento contra um câncer em casa. A orientação para a licença foi feita pela equipe médica do Hospital Sírio Libanês, que acompanha o prefeito.

"Com o surgimento de novos focos, o prefeito de São Paulo precisará de dedicação integral ao tratamento e entende que não será compatível com as suas responsabilidades e compromisso com a cidade e os paulistanos", diz a nota da prefeitura, neste domingo (2).

Ele deverá oficializar o pedido à Câmara Municipal nesta segunda-feira (3). O vice-prefeito Ricardo Nunes (MDB) vai assumir a gestão nesse período.

O pedido de afastamento já era esperado pelos médicos e foi sugerido, segundo apuração da reportagem, porque o tratamento do prefeito irá se intensificar nas próximas semanas, com sessões de quimioterapia e imunoterapia de duração de dois dias. As aplicações dos medicamentos são consideradas desgastantes e, no caso da quimioterapia, agressivas.

Em publicação nas redes sociais, Covas diz que a vida tem apresentado enormes desafios e confirmou que seu tratamento entra agora em uma fase mais rigorosa. "Tenho certeza de que vamos superar mais essa batalha".

Tenho seguido à risca as orientações da equipe médica e venho trabalhando em regime de teletrabalho [...] mas agora, diante dos novos focos da doença, meu corpo está exigindo que eu dedique mais tempo ao tratamento."
Trecho de comunicado divulgado por Covas

O prefeito ainda se recupera de uma piora no seu quadro de saúde. Ele recebeu alta na semana passada depois de ficar internado duas semanas no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para tratar novos focos da doença no fígado e nos ossos. Além disso, Covas teve de drenar líquidos acumulados na região do seu abdômen e pulmão.

Fora os três procedimentos, o prefeito ainda realiza, durante todas madrugadas, uma alimentação suplementar via cateter, para manter o corpo com nutrientes e dentro do peso ideal.

A ideia é que Covas conclua o tratamento em casa e apenas retorne ao hospital a cada 15 dias para continuar as sessões de quimioterapia e imunoterapia.

Piora do quadro de saúde

Ele foi diagnosticado em outubro de 2019 com um câncer na cárdia, região que liga o esôfago ao estômago. Exames recentes indicaram que o tumor estava em metástase —foram encontrados novos pontos da doença no fígado e nos ossos.

Ano passado, o prefeito concluiu quatro meses de quimioterapia e teve queda de cabelo e barba, além de resultar na perda de alguns quilos. Mas havia sido o suficiente para frear a doença. Desde então, manteve apenas o tratamento de imunoterapia.

Durante o tratamento, Covas apenas tirou alguns dias de licença quando os médicos o orientavam a fazer isso ou quando ele não se sentia bem para trabalhar — a decisão atual é semelhante.

Política