PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Coronavírus: Últimas notícias e o que sabemos até esta sexta-feira (24)

Anvisa publicou regras que proíbem a venda sem receita de medicamentos como cloroquina, hidroxicloroquina, nitazoxanida e ivermectina - Getty Images / iStockphoto
Anvisa publicou regras que proíbem a venda sem receita de medicamentos como cloroquina, hidroxicloroquina, nitazoxanida e ivermectina Imagem: Getty Images / iStockphoto

Do UOL, em São Paulo

24/07/2020 12h28Atualizada em 24/07/2020 20h07

O Brasil registrou 1.156 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com o balanço oficial do Ministério da Saúde. Ao todo, foram contabilizados 85.238 óbitos.

O país chegou à marca de 2.343.366 diagnósticos confirmados da covid-19, com 55.891 casos novos da doença identificados no último boletim.

O total de recuperados chegou a 1.592.281, representando 67,9% do total de infectados. Os casos em acompanhamento são 655.847, 28,4% do montante de contaminados.

Isolamento social pode ter poupado 118 mil vidas no país

Um estudo realizado por professores da área de estatísticas econômicas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) aponta que até 118 mil vidas podem ter sido poupadas no Brasil por causa de medidas de isolamento social para evitar a disseminação do novo coronavírus em maio. O resultado da pesquisa foi publicado hoje pelo jornal O Globo.

De acordo com o professor Caio Chain, a equação estudou a transmissão do coronavírus e levou em conta dados de isolamento social a partir de monitoramento por GPS de celulares e como eles interferiram na disseminação da doença pelo Brasil.

"Assim, conseguimos ver como teria sido a pandemia sem isolamento social, obtendo um número projetado de casos e, aplicando a taxa de letalidade do modelo epidemiológico da covid-19 Brasil, chegamos a algumas estimativas de mortes que foram evitadas."

O estudo ainda diz que, em comparação a levantamentos parecidos realizados em outros países, o isolamento no Brasil foi pouco eficiente.

Estudo brasileiro reforça ineficácia da cloroquina

Hoje, a Coalizão Covid-19 Brasil, criada para unir dados e esforços de diversas partes do país no combate à pandemia, publicou os primeiros resultados de uma destas linhas, a que testou a hidroxicloroquina e ainda a hidroxicloroquina somada à azitromicina - e revelou que estes medicamentos não trazem melhoras no tratamento da doença.

A publicação veio no New England Journal of Medicine, considerado o periódico médico com maior fator de impacto do mundo no relatório Journal Citation Reports 2018, da consultoria Clarivate Analytics.

O fator de impacto é uma métrica composta por vários indicadores da influência de uma publicação científica.

O pesquisador Alexandre Biasi, que participou do maior estudo brasileiro sobre o uso de medicamentos contra o coronavírus, afirmou hoje que a ineficácia comprovada da hidroxicloroquina na análise sugere que a prescrição do medicamento "não faz sentido". Ele foi taxativo ao comentar os resultados do estudo divulgado ontem.

Proibição da Anvisa

Hoje, inclusive, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publicou regras que proíbem a venda sem receita em farmácias de medicamentos como cloroquina, hidroxicloroquina, nitazoxanida e ivermectina.

As orientações estão na Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 405/2020, publicada ontem no Diário Oficial da União. De acordo com a agência, a lista poderá ser revista a qualquer momento para a inclusão de novos medicamentos, caso seja necessário.

Ainda segundo a Anvisa, o objetivo da norma é impedir a compra indiscriminada de medicamentos que têm sido amplamente divulgados como potencialmente benéficos no combate à infecção pelo novo coronavírus.

Gastos em saúde pública

Fazer investimentos na saúde pública brasileira é algo urgente, afirma Frederico Guanais, diretor-adjunto da divisão de saúde da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Segundo ele, a pandemia de covid-19 "deixou claro que despesas na área de saúde são investimentos."

"O financiamento do sistema público de saúde do Brasil é muito inferior ao dos países da OCDE."

O Brasil gasta em saúde 9,2% do PIB (soma de todas as riquezas produzidas), pouco acima da média dos 37 países-membros da OCDE, a maioria ricos, que é de 8,8% do PIB. Mas no caso do Brasil boa parte dessas despesas são privadas. A fatia dos recursos públicos investidos nessa área representa apenas 4% do PIB, enquanto na média da organização ela é de 6,6% do PIB.

Desenvolvimento de vacina

A cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Soumya Swaminathan, explicou hoje que a observação de resultados no desenvolvimento de uma vacina - que normalmente leva anos - pode levar apenas seis meses em meio à pandemia do novo coronavírus.

Para as candidatas a vacinas que já estão na fase 3, em testagem com pessoas no mundo real, o próximo passo é analisar a segurança e eficácia da proteção com base nos voluntários que receberam o imunizante.

Mesmo com prazos mais curtos, Soumya disse que a segurança é primordial.

"Não será o caso da primeira vacina ser rapidamente injetada em milhões de pessoas sem ter estabelecido, de fato, se ela está realmente oferecendo proteção e se é segura."

Mortes em alta no interior do Rio de Janeiro

"Cidades polo" no interior do estado do Rio têm registrado nos últimos dias os maiores números de mortes por covid-19 da média móvel verificados até agora.

O movimento contrasta com a capital fluminense —que teve pico de óbitos há dois meses e agora vê redução das mortes desde 20 de junho— e indica confirmação de tendência de interiorização do coronavírus.

Especialistas ouvidos pelo UOL preveem aumento de óbitos em regiões do interior do Rio. Para eles, a estrutura geográfica dessas áreas, onde há menor acesso ao atendimento médico e grande circulação de pessoas em cidades vizinhas, contribui para o cenário.

Dos 92 municípios do estado, apenas quatro ainda não registraram mortes. No mês passado, ainda havia 18 cidades sem óbitos por covid-19.

Funcionamento de parques em São Paulo

A Prefeitura de São Paulo ampliou o horário de funcionamento dos parques da Aclimação e da Independência a pedido do vereador Dalton Silvano (DEM), que integra a base de apoio do prefeito Bruno Covas (PSDB).

De acordo com o protocolo de retomada das atividades, a abertura de parques se dá entre as 10h e as 16h para coincidir com o horário comercial e evitar aglomerações. Somente o parque do Carmo e Ibirapuera eram exceção, funcionando das 6h até as 16h.

Desde quarta-feira (22), porém, os parques da Aclimação e da Independência abrem às 8h. A partir da próxima segunda-feira (27), o tempo de funcionamento aumenta e será entre as 6h e as 16h.

Prefeito de Cuiabá é multado por descumprimento de decisões judiciais

A quarentena na cidade de Cuiabá foi prorrogada por mais 14 dias a contar a partir de hoje. A decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJMT) também inclui uma multa de R$ 200 mil ao prefeito da cidade, Emanuel Pinheiro (MDB).

Emanuel Pinheiro (MDB), prefeito de Cuiabá - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Pinheiro foi punido por descumprir duas decisões judiciais, uma delas por demorar a publicar Decreto Municipal nos moldes do decreto estadual e outra por permitir que cerca de 5 mil pessoas comparecessem ao velório e sepultamento do pastor da Assembleia de Deus, Sebastião Rodrigues de Souza, vítima de covid-19.

Cuiabá está em isolamento desde o dia 25 de junho.

Eleições nos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou ontem o cancelamento da Convenção Nacional Republicana programada para 25, 26 e 27 de agosto em Jacksonville, na Flórida, uma das áreas mais atingidas pela pandemia do novo coronavírus.

"Este não é o momento certo para ter uma grande convenção."

O evento inteiro estava originalmente programado para acontecer em Charlotte, mas Trump forçou o partido a mudá-lo para a Flórida depois que as autoridades locais na Carolina do Norte limitaram o número de assentos permitidos devido à crise sanitária.

China fecha consulado americano

A China anunciou hoje o fechamento do consulado americano na cidade de Chengdu, no sudoeste do país, em represália à decisão do governo americano de fechar a representação chinesa em Houston.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse ontem que o local era um centro de espionagem para obter segredos comerciais, e convocou as "nações livres" a conterem a "nova tirania" chinesa.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores chinês, o fechamento "é uma resposta legítima e necessária às medidas pouco razoáveis adotadas pelos Estados Unidos." O comunicado não traz maiores precisões sobre o motivo da decisão.

Coronavírus na América

A Argentina e o México atingiram ontem o recorde diário de casos confirmados do novo coronavírus. Já a Colômbia atingiu o maior número de mortes causadas pela covid-19.

De máscara, mulher anda de bicicleta em Buenos Aires, na Argentina - Marcelo Endelli/Getty Images - Marcelo Endelli/Getty Images
Imagem: Marcelo Endelli/Getty Images

Enquanto Argentina registrou 6.127 infectados, o que elevou o total desde o começo da pandemia no país vizinho para 148.027, o México teve 8.438 novos casos, com 370.712 no total.

Já a Colômbia teve ontem um recorde nacional diário de mortes por covid-19, com 315 confirmações, o que mostra que a propagação da pandemia continua acelerando, principalmente em Bogotá, que hoje registrou mais de 100 óbitos pela primeira vez, com 111.

A China, inclusive, destinará US$ 1 bilhão em créditos aos países latino-americanos para o acesso a vacinas e medicamentos contra a covid-19, anunciou ontem o Ministério das Relações Exteriores do Equador.

1,3 milhão de casos na Índia

Um total de 740 novas mortes por coronavírus foi registrado nas últimas 24 horas na Índia - anunciaram as autoridades hoje, elevando o saldo oficial para 30 mil óbitos pela pandemia. Também foram registradas 49.310 novas infecções, elevando o número total de casos para 1,3 milhão.

A Índia é, agora, o sexto país em número de mortos, atrás de Estados Unidos, Brasil, Reino Unido, México e Itália, conforme balanço feito pela AFP com base em dados oficiais.

Equipes da Índia e de Israel, inclusive, estão trabalhando conjuntamente para desenvolver um kit para testagem da covid-19 que pode trazer o resultado em 30 segundos. Segundo informações do jornal "Times of India", o teste em desenvolvimento usa a inteligência artificial e um equipamento semelhante a um bafômetro para diagnosticar se a pessoa está ou não infectada pelo coronavírus.

F1 corta GP Brasil do calendário 2020

A Fórmula 1 decidiu excluir o Grande Prêmio do Brasil do Mundial 2020. Os motivos para a decisão foram o calendário apertado e, principalmente, o surto de covid-19 no país. México e Estados Unidos também não vão receber as corridas desta temporada pelo mesmo motivo. A informação foi confirmada pelo UOL Esporte.

Os três países estão com alguns dos piores índices de infecção do mundo na atualidade. O GP de Austin, no Texas, seria realizado no dia 23 de outubro. Uma semana depois, a Fórmula 1 viajaria para a Cidade do México. A corrida em Interlagos, em São Paulo, estava agendada inicialmente para 15 de novembro.

Coronavírus