PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Governador do DF vai decretar lockdown das 20h às 5h: 'Não temos opção'

"Não temos outra opção. Nossa taxa de ocupação dos leitos já está em 92%", lamentou o governador do DF - Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo
"Não temos outra opção. Nossa taxa de ocupação dos leitos já está em 92%", lamentou o governador do DF Imagem: Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

25/02/2021 22h49Atualizada em 25/02/2021 23h18

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), anunciou hoje que vai decreta lockdown (confinamento total) a partir da próxima segunda-feira (1º), das 20h às 5h. Antes, ele já havia adiantado que cogitava adotar restrições mais rígidas, temendo que a situação se agrave com a chegada de variantes do coronavírus à capital federal e cidades do entorno.

"Atendendo a recomendação dos técnicos da Secretaria de Saúde do DF, vou decretar lockdown de 20h às 5h da manhã a partir de segunda-feira [1º]. Queria muito evitar essa decisão, mas não temos outra opção a não ser tomar medidas mais fortes. Nossa taxa de ocupação dos leitos já está em 92%", escreveu o governador em uma rede social.

O DF registrou mais 14 mortes e 1.068 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. Com isso, o total de óbitos chegou a 4.805; o de infectados, a 293.782.

O Brasil teve hoje o dia mais letal desde o início da pandemia, com 1.582 novas mortes confirmadas de ontem para hoje. Até então, o recorde havia sido computado em 29 de julho, com 1.554 óbitos. O total de vítimas até agora é de 251.661.

Vacinação ampliada

Mais cedo, a Secretaria de Saúde do DF anunciou que idosos de 76 a 78 anos serão incluídos na campanha de vacinação contra a covid-19. A estimativa é de que haja 23.061 pessoas dessa faixa etária vivendo na capital federal.

De acordo com o órgão, a vacinação para esse público acontece a partir de amanhã (26), após a chegada de 25,5 mil doses da vacina AstraZeneca/Universidade de Oxford, distribuída no Brasil pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Há ainda a previsão de chegada de uma remessa de 11 mil doses da vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan junto à farmacêutica Sinovac.

"Continuarão sendo vacinados membros do grupo prioritário já incluído anteriormente, além de cerca de 9 mil profissionais de saúde da rede privada, que estão na linha de frente, e ainda não foram vacinados", informou a secretaria.

(Com Agência Brasil)

Coronavírus