PUBLICIDADE
Topo

Estudo aponta 2019 como o ano mais quente já registrado na Europa

Homem toma sol à beira do rio Tejo em Lisboa, Portugal - AFP PHOTO / PATRICIA DE MELO MOREIRA
Homem toma sol à beira do rio Tejo em Lisboa, Portugal Imagem: AFP PHOTO / PATRICIA DE MELO MOREIRA

22/04/2020 07h49

O ano de 2019 foi o mais quente já registrado na Europa, com temperaturas quase 2ºC acima da média da segunda metade do século 19.

A informação está em um relatório sobre o continente divulgado nesta quarta-feira (22), Dia Mundial da Terra, pelo Serviço Copernicus sobre Mudanças Climáticas, órgão ligado à União Europeia.

Segundo o estudo, 11 dos 12 anos mais quentes já registrados ocorreram de 2000 em diante. Em 2019, os meses com maiores aumentos na Europa foram fevereiro, junho e julho.

"Os indicadores climáticos mostram que as temperaturas médias dos últimos cinco anos são 1,1ºC acima daquelas da era pré-industrial. Em toda a Europa, são quase 2ºC acima daquelas da segunda metade do século 19", afirma o relatório.

Em alguns países, como Alemanha e França, os termômetros no verão ficaram entre 3ºC e 4ºC acima dos níveis pré-industriais.

Na Europa ártica, a temperatura do ar foi "0,9ºC superior à media", de acordo com o Copernicus, que alertou para o derretimento de geleiras na Groenlândia.

Ainda segundo o levantamento, as concentrações atuais de dióxido de carbono (CO2) e metano (CH4), gases causadores do efeito estufa, são similares apenas àquelas de "milhões de anos atrás".

"Os fluxos globais de gases do efeito estufa mantêm uma contínua tendência de crescimento, um modelo que se estabeleceu nas últimas décadas", diz o órgão da UE.

Meio Ambiente