PUBLICIDADE
Topo

Balaio do Kotscho

Em campanha, Bolsonaro reinaugura obra na Bahia

O presidente da República, Jair Bolsonaro, cumprimenta populares no Aeroporto Internacional Serra da Capivara de São Raimundo Nonato, em seu primeiro evento público desde que se recuperou da covid-19 - Alan Santos/Presidência da República
O presidente da República, Jair Bolsonaro, cumprimenta populares no Aeroporto Internacional Serra da Capivara de São Raimundo Nonato, em seu primeiro evento público desde que se recuperou da covid-19 Imagem: Alan Santos/Presidência da República
Ricardo Kotscho

Ricardo Kotscho, 72, paulistano e são-paulino, é jornalista desde 1964, tem duas filhas e 19 livros publicados. Já trabalhou em praticamente todos os principais veículos de mídia impressa e eletrônica. Foi Secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República (2003-2004). Entre outras premiações, foi um dos cinco jornalistas brasileiros contemplados com o Troféu Especial de Direitos Humanos da ONU, em 2008, ano em que começou a publicar o blog Balaio do Kotscho, onde escreve sobre a cena política, esportes, cultura e histórias do cotidiano

Colunista do UOL

30/07/2020 16h43

Assim que desembarcou no aeroporto de São Raimundo Nonato, a 523 quilômetros de Teresina, no Piauí, onde foi recebido aos gritos de "Mito!", como acontecia durante a campanha eleitoral, Bolsonaro botou um chapéu de couro na cabeça e montou num cavalo para dar início à sua "agenda positiva", em que pretende viajar pelo país inaugurando obras.

De lá ele seguiu para Campo Alegre de Lourdes, no norte baiano, para "inaugurar" uma obra de abastecimento de água, que na verdade foi iniciada pelo governo de Dilma Rousseff, em 2013, segundo o jornal O Globo, e já estava em funcionamento há mais de dois anos.

Relatório da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) informa que 80% da obra já tinha sido executada até 2016.

Bolsonaro apenas ativou um ramal da adutora que liga o sistema de abastecimento de água ao distrito de Angico dos Dias, que fica a 60 quilômetros do centro da cidade, onde foram investidos R$ 20 milhões pelo atual governo, segundo a Codevasf.

O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) chegou a acionar a Justiça para impedir que o presidente assumisse a paternidade da obra, inaugurada pela primeira vez pelo governador da Bahia, Rui Costa, em 2018.

Na ação judicial, segundo o jornal A Tarde, o deputado anexou relatório de gestão de 2018 da Codevasf na qual a obra é relatada como concluída.

"Se o ato ocorrer, Bolsonaro terá de restituir cada centavo do dinheiro público gasto para tentar enganar a população. O presidente não pode gastar tanto dinheiro com uma comitiva oficial para fazer uma inauguração fake", disse o deputado Jorge Solla.

No vídeo de inauguração produzido pela Codevasf, é destacada a obra completa, que teve custo de R$ 105 milhões, sem menção à inauguração ocorrida há dois anos.

Depois de participar da cerimônia na Bahia, o presidente voltou ao Piauí para visitar o Parque Nacional da Serra da Capivara.

A 30 meses das próximas eleições presidenciais, Jair Bolsonaro já está de novo em campanha.

Vida que segue.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Balaio do Kotscho