PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro & Mourão reescrevem a História do Brasil

O presidente Jair Bolsonaro e o vice Hamilton Mourão durante cerimônia alusiva ao Dia Internacional da Mulher: que segredos eles escondem? - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
O presidente Jair Bolsonaro e o vice Hamilton Mourão durante cerimônia alusiva ao Dia Internacional da Mulher: que segredos eles escondem? Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Ricardo Kotscho

Ricardo Kotscho, 72, paulistano e são-paulino, é jornalista desde 1964, tem duas filhas e 19 livros publicados. Já trabalhou em praticamente todos os principais veículos de mídia impressa e eletrônica. Foi Secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República (2003-2004). Entre outras premiações, foi um dos cinco jornalistas brasileiros contemplados com o Troféu Especial de Direitos Humanos da ONU, em 2008, ano em que começou a publicar o blog Balaio do Kotscho, onde escreve sobre a cena política, esportes, cultura e histórias do cotidiano

Colunista do UOL

12/10/2020 14h51

Em breve, os novos livros didáticos, editados pelo Ministério da Educação do pastor Milton Ribeiro, vão contar a nova História do Brasil, reescrita a quatro mãos pelo capitão Bolsonaro e o general Mourão.

* A Ditadura Militar (1964-1985) nunca existiu. Foi uma ação patriótica de cunho preventivo, deflagrada para salvar o Brasil das garras do comunismo internacional que comia criancinhas, antes que elas fossem colocadas sob a tutela da pastora Damares à sombra da sua goiabeira.

* O juramentado torturador Brilhante Ustra nunca torturou ninguém. Era um homem honrado, um herói nacional, que defendia os direitos humanos dos seus subordinados (e mandava os inimigos para o inferno, de onde nunca deveriam ter saído).

* O Brasil foi o país que melhor combateu a pandemia do coronavírus e evitou uma recessão econômica que poderia provocar o desemprego, a fome e a miséria. Já pensaram nisso? Se morreram mais de 150 mil brasileiros e mais de 5 milhões foram contaminados pela Covid-19 a culpa não é do governo, mas das vítimas.

* É mentira da imprensa comunista internacional que os incêndios tenham calcinado 26,5% do Pantanal e consumido 13 mil quilômetros quadrados da Amazônia. As fotos de satélite foram tiradas na Califórnia. Nossas gloriosas Forças Armadas mobilizaram todos os seus batalhões para impedir que isso acontecesse aqui.

* Ninguém no mundo protege mais o seu Meio Ambiente do que o Brasil, graças aos esforços do general Mourão e dos óculos do seu ajudante de ordens Ricardo Salles, que enxerga longe, além da brava atuação dos bois bombeiros.

* Ricardo Salles é um humanista impoluto, defensor das matas e dos povos indígenas, que arriscou a própria vida para apagar o fogo e passar a boiada.

* Nossas crianças foram liberadas para trabalhar a partir de qualquer idade, em qualquer serviço, pois se trata de uma atividade saudável e educativa. Quando crescerem, poderão frequentar as escolas cívico-militares construídas pelo governo teocrático-miliciano implantado em 2019, que deu origem à nova História do Brasil.

* Agora só morre a bala quem for trouxa. Foram liberadas armas e munições à vontade para todos se protegerem contra os inimigos da liberdade de ir e vir.

* A violência doméstica só existe nos lares em que as mulheres não chamam mais os maridos de senhor e não obedecem às suas ordens.

* Os militares convocados para servir ao governo, em vez de dar golpes, agora ganham salário dobrado para cumprir uma missão patriótica, com grandes sacrifícios pessoais. O general Pazuello até descobriu a existência do SUS.

* A corrupção foi banida de todo o território nacional. Laranjais, rachadinhas, funcionários fantasmas, mochilas de dinheiro vivo e lojas de chocolate são coisas do passado.

* Acabou a inflação. Se alguém ainda está aumentando os preços, o governo não pode fazer nada, a não ser apelar para o patriotismo.

* A nova Previdência é igual para todos, assim como a lei, com a honrosa exceção dos militares, juízes, parlamentares e amigos do rei.

* Marielle não foi fuzilada pelas forças da lei e da ordem. Quase mil dias após a sua morte, desconfiamos que ela se suicidou com vários tiros para colocar a culpa no governo.

* Fabrício Queiroz é inocente. Trata-se apenas de um benemérito de famílias carentes, que deposita cheques para pagar as contas no fim do mês, sem pedir nada em troca. Foi o inspirador da política econômica de Paulo Guedes, que tira dos pobres e paupérrimos para dar aos maganos e aos bancos porque eles garantem os nossos empregos, o equilíbrio fiscal e os investimentos.

Em tempo: esse texto contém uma certa dose de ironia, mas é baseado em declarações e pensamentos oficiais. Imprima-se.

Vida que segue.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.