PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Governo marca reunião com líderes caminhoneiros para tentar evitar greve

8.set.2021 - Paralisação de caminhoneiros em Lages (SC), em protesto contra o preço da gasolina e do diesel - Fom Conradi/iShoot/Estadão Conteúdo
8.set.2021 - Paralisação de caminhoneiros em Lages (SC), em protesto contra o preço da gasolina e do diesel Imagem: Fom Conradi/iShoot/Estadão Conteúdo
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

22/10/2021 14h12

Diante da crescente insatisfação dos caminhoneiros com a escalada do preço do óleo diesel - motivo principal de a categoria ter marcado greve para o dia 1º de novembro -, o governo federal resolveu agir para tentar evitar a paralisação. Marcou para o dia 28 de outubro reunião de integrantes da Secretaria Especial de Articulação Social e da Casa Civil com os líderes caminhoneiros e com o presidente da Frente Parlamentar dos Caminhoneiros e Celetistas.

Até poucos dias atrás o governo avaliava como improvável uma adesão maciça à paralisação. Porém, desde que foi anunciada a possibilidade de greve, os caminhoneiros têm demonstrado insatisfação crescente nos grupos de aplicativos de mensagem, o que fez mudar a avaliação no Palácio do Planalto.

O anúncio feito ontem pelo presidente Jair Bolsonaro, da concessão de auxílio-combustível para os motoristas de caminhão no valor de R$ 400 até o fim do ano, irritou ainda mais a categoria. Vários caminhoneiros se referiram ao benefício como "esmola". Até mesmo grupos onde a maioria dos integrantes costuma apoiar o presidente tiveram praticamente todas as mensagens expressando irritação.

Os líderes caminhoneiros vão levar à reunião do dia 28 uma pauta que inclui o fim da paridade do preço do petróleo com o mercado internacional; a criação de um fundo de estabilização da tarifa dos combustíveis, criado com imposto sobre exportação do petróleo bruto e maior pressão sobre o Supremo Tribunal Federal para que seja julgado o texto que estabelece o piso mínimo do frete.

O presidente da Frente Parlamentar de Caminhoneiros, deputado Nereu Crispim (PSL-RS), disse que a categoria tem um plano completo para oferecer ao governo. "Se eles não sabem como baixar o preço dos combustíveis, os caminhoneiros sabem", afirma Crispim.

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do informado anteriormente, os ministros Tarcísio de Freitas e Ciro Nogueira não participarão da reunião com os caminhoneiros no dia 28/10, que será feita com integrantes do ministério da Casa Civil. A infomação foi repassada à coluna pelo deputado Nereu Crispim.