PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Bebianno não lhe esqueceu, diz ex-aliado Paulo Marinho em vídeo a Bolsonaro

Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

27/10/2021 18h35

O empresário Paulo Marinho postou nas redes sociais um vídeo com duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro, depois que ele bateu boca com o filho, André Marinho, durante entrevista à TV Jovem Pan, que entrou no ar hoje. Paulo é suplente do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e foi um dos coordenadores da campanha eleitoral de Bolsonaro.

Em dos trechos, ele cita Gustavo Bebianno, que foi ex-ministro de Bolsonaro mas rompeu com o presidente e tornou-se um dos seus principais inimigos, até morrer, em março do ano passado.

"Quando você estiver chorando no banheiro, lembre-se de Gustavo Bebianno, capitão. Ele não lhe esqueceu", disse o empresário.

A coluna pediu a Paulo Marinho para esclarecer a menção a Bebianno, mas ele não respondeu.

Foi o ex-ministro que denunciou a intenção de Carlos Bolsonaro, filho do presidente que é vereador no Rio de Janeiro, de montar uma "Abin paralela" assim que o pai assumiu o mandato.

O desentendimento entre André Marinho e o presidente aconteceu quando o entrevistador se referiu a deputados estaduais fluminenses que praticam rachadinha, em uma menção indireta ao senador Flávio Bolsonaro, acusado de chefiar um esquema desse tipo quando estava na Assembleia Legislativa do Rio. Houve discussão e o presidente da República abandonou a entrevista.

No vídeo, Paulo Marinho lamenta a maneira "descortês" como o filho foi tratado.

"Sabe qual é a diferença entre nós, capitão? É que eu eduquei os meus filhos para serem honestos, pessoas do bem e não temerem os poderosos como você", diz o empresário.

Ele fala para o presidente parar de repetir a "ladainha" de que quer tomar o lugar do filho no Senado. "Quem quer o mandato do Flávio é o Ministério Público, não sou eu".