Conteúdo publicado há 2 meses
Kennedy Alencar

Kennedy Alencar

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Fortalecimento de Trump ameaça mundo, mas é cedo para dar Biden como morto

O colunista do UOL Kennedy Alencar afirmou durante o programa Análise da Notícia que uma eventual vitória de Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos poderá representar uma ameaça para a democracia e para o mundo.

Trump se fortaleceu e é uma ameaça real para a democracia, para o mundo e para o Brasil, mas é cedo para dar Biden como morto. Kennedy Alencar

Hoje (5) acontece a chamada superterça nos Estados Unidos, que é a data mais importante no calendário eleitoral antes das eleições gerais. Quinze estados irão votar para definir os candidatos que vão disputar as eleições, e os resultados devem confirmar o favoritismo de Trump como candidato do Partido Republicano e de Joe Biden como candidato do Partido Democrata.

Ontem (4) a Suprema Corte dos Estados Unidos rejeitou uma decisão judicial que tirou Donald Trump das urnas no Colorado após ações relacionadas à invasão do Capitólio, em 6 de janeiro de 2021. A decisão tornou o ex-presidente elegível para disputar as eleições e, na avaliação de Kennedy, isso representa um grande risco.

A decisão de ontem da Supremo Corte fortalece o Trump e isso aumenta o risco para o planeta do ponto de vista democrático e climático, mas Biden não é carta fora do baralho. (...) Havia uma discussão em 2020 sobre se a democracia americana resistiria a um segundo mandato do Trump, mas não deixaram isso acontecer. Acho que essa discussão será feita fortemente agora quando o jogo começar, se a democracia americana e o mundo vão resistir a um novo mandato do Trump. Acho que isso pode ajudar o Biden na dinâmica da campanha, apesar de Trump estar a frente nas pesquisas. Kennedy Alencar

Além dos riscos climáticos, o colunista do UOL também destacou que uma eventual vitória de Trump iria fortalecer a extrema direita em todo o mundo.

Trump é um negacionista da emergência climática e das mudanças climáticas. Ele também é 'a la Bolsonaro' em política externa e iria aumentar as tensões que já são altas no planeta. Também há um impacto do fortalecimento da extrema direita, e figuras como Javier Milei na Argentina, Putin na Rússia e até Bolsonaro, mesmo inelegível, se fortalecem e Bolsonaro ganha um respiro. Para o planeta Trump traz isso, tanto para a agenda ambiental que ele pode dificultar ainda mais algo que já é difícil avançar, quanto para a democracia. Kennedy Alencar

Por fim, Kennedy alertou para os impactos de uma vitória de Trump para o Brasil e para a América Latina como um todo. No Brasil, especificamente, o próprio presidente Lula (PT) já manifestou o desejo de uma vitória de Biden.

Lula na semana passada falou que o desejo dele é ver Biden reeleito porque o Biden tem mais afinidade com ele e a defesa da democracia do que Trump. Mas, Lula é pragmático e teve boa relação com George Bush, que era um presidente republicano. Mas ele acha que seria ruim para as relações com o Brasil e que Trump vai dar força para a extrema direita no Brasil. Os Estados Unidos também não prestam atenção na América do Sul, com exceção aos interesses na Venezuela, e não ligam para a América Latina com exceção de Cuba e da fronteira com o México. Trump também tem uma péssima política de migração, ele queria simplesmente fechar a fronteira e construir um muro na fronteira com o México, então seria muito ruim também para o Brasil. Kennedy Alencar

Continua após a publicidade

***

O Análise da Notícia vai ao ar às terças e quartas, às 13h e às 14h30.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja abaixo o programa na íntegra:

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Deixe seu comentário

Só para assinantes